Preços dos carros da Chevrolet ficam 4% mais altos, e eles vão encarecer mais

Recorde da alta do dólar e a pandemia do novo coronavírus são os motivos

Versão de entrada do Chevrolet Onix foi de R$ 49.690 para R$ 50.990 (Foto: Divulgação)

Versão de entrada do Chevrolet Onix foi de R$ 49.690 para R$ 50.990 (Foto: Divulgação)

Os preços dos carros da Chevrolet vão aumentar. A fabricante divulgou hoje que os valores vão ficar 4% maiores para toda a linha. Vale dizer que esses acréscimos já eram esperados. Os motivos? A alta recorde do dólar e a pandemia do novo coronavírus.

“Nos últimos 12 meses, a desvalorização do dólar foi superior a 40%. Isso impacta fortemente a indústria automotiva, cujos produtos tem, em média, 40% de conteúdo importado. Com isso, aumentos de preços são inevitáveis”, afirma a GM em nota.

De acordo com Carlos Zarlenga, presidente da GM América do Sul, esses aumentos podem se tornar frequentes. Ou seja: esta não será a única alta. “A GM repassará esse impacto nos custos de forma gradual. Neste período em que os pontos de vendas estão fechados e as linhas de produção paradas por motivos de força maior, e com uma forte recessão à vista, a cadeia automotiva está se endividando”, afirma.

“As montadoras vão seguir a desvalorização do real. Recentemente, já houve aumento de preços que não víamos há muito tempo e veremos mais ainda”.

Listamos os aumentos das versões de entrada de cada carro:

Chevrolet Onix Joy
de R$ 50.150 para R$ 52.150

Chevrolet Onix
de R$ 50.990 para R$ 53.050

Chevrolet Joy Plus
de R$ 53.950 para R$ 56.090

Chevrolet Onix Plus
de R$ 60.090 para R$ 56.990

Chevrolet Cruze Sedan
de R$ 101.190 para R$ 102.690

Chevrolet Cruze Sport6
de R$ 101.190 para R$ 102.690

Chevrolet Spin
de R$ 72.250 para R$ 75.150

Chevrolet Spin Activ
de R$ 90.950 para R$ 94.590

Chevrolet Tracker
de R$ 82.000 para R$ 85.290

Chevrolet Equinox
R$ 129.990 para R$ 135.190

Chevrolet Equinox Midnight
R$ 129.990 para R$ 137.290

Chevrolet Trailblazer
de R$ 247.550 para R$ 257.490

Chevrolet Montana LS
de R$ 55.190 para R$ 59.450

Chevrolet Montana Sport
de R$ 66.190 para R$ 71.250

Chevrolet S10 cabine simples
de R$ 140.250 para R$ 145.890

Chevrolet S10 cabine dupla flex
de R$ 111.290 para R$ 119.590

Chevrolet S10 cabine dupla diesel
de R$ 150.190 para R$ 161.390

Chevrolet S10 Chassi
de R$ 132.950 para R$ 138.290

Chevrolet S10 High Country
de R$ 205.090 para R$ 213.290

Chevrolet Camaro
de R$ 333.990 para R$ 344.090

Chevrolet Camaro conversível
de R$ 371.590 para R$ 382.850

O único modelo que não teve alteração em seu preço é o Cobalt, tabelado em versão única a R$ 64.990. O sedã saiu de linha em 2019, e a fabricante comercializa apenas o estoque restante do modelo.

Veja a declaração na íntegra

Nos últimos 12 meses, a desvalorização do dólar foi superior a 40%. Isso impacta fortemente a indústria automotiva, cujos produtos tem, em média, 40% de conteúdo importado. Com isso, aumentos de preços são inevitáveis. A GM repassará esse impacto nos custos de forma gradual. Neste período em que os pontos de vendas estão fechados e as linhas de produção paradas por motivos de força maior, e com uma forte recessão à vista, a cadeia automotiva está se endividando. Neste cenário, a GM tem como prioridade a segurança das pessoas e a manutenção de empregos. Para a empresa, a rentabilidade passa a ser ainda mais importante com vistas à sustentabilidade do seu negócio no Brasil. A industria não tem espaço para perder dinheiro, porque a dívida já é enorme e vai se duplicar. O que vamos ver é que mesmo em uma indústria pequena, haverá aumento de preços. As montadoras vão seguir a desvalorização do real. Recentemente, já houve aumento de preços que não víamos há muito tempo e veremos mais ainda, declara Carlos Zarlenga, presidente da GM América do Sul.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo