Confira linhas de crédito disponíveis para os pequenos negócios

Micro e pequenos empresários também contam com consultoria do Sebrae/MS para decisões sobre empréstimos.

Os empresários viram o faturamento cair nas últimas semanas, devido à crise relacionada ao novo coronavírus. Para muitos, a possibilidade de realizar um empréstimo é a saída para manter a empresa funcionando. Pensando nisso, o Sebrae/MS vem monitorando as ações oficiais que beneficiam os pequenos negócios, entre elas, o anúncio de linhas de crédito e medidas para o período.

A partir de autorizações do Banco Central, as instituições financeiras estão disponibilizando linhas de crédito para que as micro e pequenas empresas consigam atravessar o momento. Grande parte das opções são para capital de giro, o que permite ao empresário garantir a folha salarial dos empregados.

Foto: Divulgação

Entre as instituições que já divulgaram alternativas, estão bancos públicos federais, como BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal e bancos privados. Em Mato Grosso do Sul, existe ainda o FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste) Empresarial.

Apesar dos anúncios, os interessados devem ficar atentos e buscar as melhores opções do mercado financeiro. “As instituições financeiras ainda estão organizando as ações operacionais. Algumas delas demoram para ficar disponíveis aos clientes. Recomendamos que os empresários procurem as instituições e fiquem atentos aos anúncios de medidas mais detalhadas”, explica o analista do Sebrae/MS, Vagner Teixeira.

Antes de solicitar o empréstimo, o Sebrae sugere que o empresário faça uma análise cuidadosa da empresa, verificando custos fixos como aluguel, e os variáveis, que dependem do faturamento atual. Também é preciso se atentar ao momento pós-coronavírus, já que, dependendo do ramo de atividade, será preciso mais tempo para retomar o negócio. Assim, é fundamental analisar prazos de carência.

Visando ajudar o empresário na tomada de decisão quanto a crédito, o Sebrae/MS, por meio do programa Sebrae Orienta, está com consultoria gratuita sobre o assunto. “Dentro do programa, oferecemos uma consultoria financeira e da necessidade de capital de giro, bem como da capacidade de pagamento deste novo endividamento, ou seja, vai auxiliar na tomada de decisão”, complementa o analista Vagner Teixeira.

Para mais informações sobre as linhas de crédito, como condições, requisitos e taxa de juros, os interessados devem buscar as instituições financeiras pela internet ou telefone. Quanto aos atendimentos e consultorias no Sebrae em Mato Grosso do Sul, é possível contatar o número 0800 570 0800.

Confira algumas linhas anunciadas:

FCO Empresarial: O Governo do Estado e o Banco do Brasil vão realocar recursos do FCO para capital de giro dissociado, visando atender os pequenos empresários de MS. A linha de crédito terá prazo de 24 meses para pagamento, com taxas de juros variáveis de acordo com o porte da empresa. O teto de contratação é de R$ 10 mil para MEI, R$ 20 mil para microempresa e R$ 540 mil para empresa de pequeno porte. O recurso poderá ser utilizado para amparar gastos gerais de administração de micro e pequenas empresas, como aquisição de insumos, estoque e despesas com folhas de pagamento.

Caixa: A CAIXA criou condições especiais em suas linhas destinadas a micro e pequenas empresas, para finalidade de Capital de Giro. Somente nesta semana, o Sebrae e o banco assinaram um convênio com o objetivo de facilitar o acesso ao crédito das micro e pequenas empresas e microempreendedores individuais, com o apoio do Fundo de Aval da Micro e Pequena Empresa (FAMPE) às garantias exigidas. Para MEI, o valor máximo de contratação é R$ 12,5 mil, para microempresa, é de até R$ 75 mil, e para empresa de pequeno porte, até R$ 125 mil.

FAMPE: O Fundo de Aval para a Micro e Pequena Empresa, constituído pelo Sebrae, visa complementar garantias nas operações de crédito contratadas pelos pequenos negócios junto às instituições financeiras conveniadas e aptas a operar o fundo. O empreendedor deve consultar o gerente da instituição financeira na qual possui relacionamento bancário e se informar sobre as linhas de crédito adequadas às suas necessidades, assim como se a instituição é conveniada com o Sebrae para operacionalizar o Fampe. Ainda deve consultar sobre a possibilidade de incluir o Fampe como aval complementar, no caso das garantias reais e pessoais não serem suficientes.

BNDES: Foram anunciadas três medidas para as micro e pequenas empresas: expansão da linha de financiamento já existente – BNDES Crédito Pequenas Empresas – voltada aos que faturam até 300 milhões, com carência de até dois anos, taxa final média em MS de 12,34% ao ano e garantia negociada livremente com a instituição financeira credenciada; a Renegociação emergencial dos financiamentos do BNDES junto aos parceiros financeiros credenciados; e o Programa de Emergencial de Suporte a Empregos, recursos para auxiliar no pagamento da folha salarial das empresas com receita bruta superior a R$ 360 mil e igual ou inferior a R$ 10 milhões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo