Trabalhadores e empresários de bares e restaurantes solicitam reabertura gradual ao Governador João Dória

O SinHoRes – Sindicato Empresarial de Hotéis, Bares e Restaurantes de Osasco – Alphaville e Região, ao lado do Sinthoresp – Sindicato dos Trabalhadores em Hotéis, Bares e Restaurantes de São Paulo, enviou ofício ao governador de São Paulo, João Dória, mostrando que as micros e pequenas empresas do setor de Gastronomia vão quebrar em poucos dias e sugerem uma volta gradual das atividades, já a partir do dia 07/04.

Para o presidente do sindicato empresarial, Edson Pinto, as duas entidades fizeram a mais importante Convenção Coletiva de Trabalho Emergencial para salvar empregos. O SinHoRes vem apoiando as decisões e ações do governo para estabelecer uma lenta propagação da pandemia para não colapsar o sistema de saúde e coloca a entidade à disposição para continuar colaborando. No entanto, lembra que “no estado de São Paulo, temos mais de 200 mil micros e pequenos bares e restaurantes, responsáveis por mais de um milhão de empregos. Precisamos pensar em medidas que garantam que esses empresários consigam passar por essa difícil fase mantendo seus negócios e preservando empregos”, afirmou.

Sendo assim, no documento enviado ao governador, o SinHoRes e o Sinthoresp sugerem a manutenção da quarentena aos grupos de risco, proibição de eventos, aglomerações e demais determinações do governo, mas que sejam reabertos gradualmente bares e restaurantes ao final do 1º ciclo da quarentena. Para isso, as entidades sugerem uma série de condicionantes para a reabertura:

– Disponibilização pelos sindicatos de uma cartilha digital a todas empresas e trabalhadores com as recomendações;

– Redução da capacidade em até 50% com distanciamento de 1,5 metros entre as mesas, inclusive em áreas externas;

– Prioridade do trabalho remoto para atividades administrativas;

– Férias ou afastamento de trabalhadores acima de 60 anos ou com problemas imunológicos ou comorbidade, dentro do período estabelecido pelo governo;

– Manutenção dos ambientes bem ventilados ou com o ar-condicionado ligado todo o tempo;

– Desinfecção constante de maçanetas, mesas, utensílios, cardápios, sanitários, etc, e de todo o estabelecimento, diariamente;

– Delivery take away, em caso de fila, com espaçamento de um metro entre os clientes para retirada dos produtos no balcão;

– Atendimento ao cliente respeitando um metro de distância;

– Fornecimento de máscaras e EPI’s para equipes de limpeza; disponibilização de álcool gel a todos trabalhadores e clientes.

Vale dizer que o ofício foi baseado em estudo realizado por JP Morgan Chase Institutte, e validado à realidade brasileira pelo Núcleo de Consultoria do SinHoRes, que pontua que micro e pequenas empresas de alimentação fora do lar não suportam mais de 16 dias sem faturamento”, concluiu Edson.

O SinHoRes enviará cópia do ofício aos prefeitos das oito cidades de sua base (Osasco, Barueri, Santana de Parnaíba, Cajamar, Carapicuíba, Itapevi, Jandira e Pirapora do Bom Jesus).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo