Tripulantes de navio da Marinha do Brasil estão com Covid-19

Um navio da Marinha do Brasil com 41 tripulantes a bordo foi colocado essa semana em quarentena no Complexo Naval da Ilha do Mocanguê, em Niterói, Região Metropolitana do Rio de Janeiro, depois que tripulantes foram infectados por Coronavírus (Covid-19).

De acordo com informações da Assessoria de Comunicação Social da Marinha do Brasil, dois tripulantes apresentaram sintomas de gripe, tendo os testes confirmados de que se tratava de Covid-19. Ambos apresentam sintomas leves, com evolução clínica satisfatória e permanecem em isolamento domiciliar, sem a necessidade de internação em uma unidade hospitalar.

Foto: Marinha do Brasil/Divulgação

O Navio Almirante Saboia, conhecido como G-25, passou pelos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Rio de Janeiro. Todos os demais tripulantes permanecem em quarentena dentro da embarcação.

Outros três tripulantes que apresentaram sintomas de gripe fizeram os testes para identificar o vírus, tendo dois deles apresentados resultados negativos. O terceiro teste ainda não ficou pronto.

Todos os militares da marinha que estão na embarcação estão sendo monitorados, seguindo as recomendações médicas e os protocolos dos Ministérios da Saúde e da Defesa.

O Navio Almirante saboia é utilizado para desembarque de veículos de combate e saiu do Rio de Janeiro no último dia 10, em direção à Estação Naval do Rio Grande do Sul.

Antes, porém, parou por quatro dias (13 a 16 de março) em Itajaí, em Santa Catarina, onde foi visitado por cerca de 200 alunos da Escola de Aprendizes Marinheiros de Santa Catarina, e onde houve a saída e entrada de tripulantes.

Alguns tripulantes disseram que começaram a sentir os primeiros sintomas de “gripe” no dia 18 de março, e que todos foram afastados de suas funções, sendo colocados em isolamento dentro do próprio navio.

Em nota divulgada à imprensa, a Assessoria de Comunicação Social da Marinha do Brasil informou que todas as “medidas de descontaminação estão sendo realizadas com o apoio da Companhia de Defesa Nuclear, Biológica, Química e Radiológica da Marinha, de modo a manter a sua plena capacidade de emprego”.

“Já quanto ao cumprimento do expediente a bordo, várias medidas vêm sendo adotadas para evitar a concentração de pessoa, como o licenciamento diário de parte da tripulação e flexibilização do horário de expediente, ampliação do horário de refeições, permitindo a divisão dos comensais em grupos menores”.

Com informações da Assessoria de Comunicação Social da Marinha do Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo