Tecnoagro: Aprosoja/MS recomenda atenção no controle de plantas tigueras

As plantas de uma outra cultura que permanecem na safra posterior são conhecidas como plantas tigueras e podem representar maiores custos ao agricultor. Algumas se tornam tolerantes aos defensivos, dificultando a eliminação. Sobre o assunto o presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso do Sul (Aprosoja/MS), André Dobashi, abriu a Tecnoagro 2020 recomendando atenção aos agricultores para o controle.

Foto: Diego Silva

Cuidado com as plantas que vieram da soja durante a safra de milho. É muito importante que a gente faça o controle das plantas que hoje são tolerantes ao glifosato”, pontua Dobashi. “Temos observado a expansão de um problema sério que é o enfezamento do milho, uma doença transmitida pela cigarrinha, que vem causando preocupação no setor. A tiguera de milho cria uma ponte verde, podendo essa doença se tornar a próxima ferrugem [que tivemos na soja], tornando-se uma mazela para o milho”, explica.

A equipe técnica da Aprosoja/MS, por meio do Sistema de Informações Geográficas do Agronegócio (SigaMS), acompanha o desenvolvimento da safrinha do milho e a colheita da soja. Eles também monitoram as ocorrências de pragas e doenças a fim de propor soluções aos agricultores do Estado.

Peço aos produtores muita cautela no controle de suas plantas tigueras e para não deixar o milho voluntário no campo e, percebam, caso o milho que estão plantando, sofrer ataques de cigarrinha, comuniquem imediatamente ao time da Aprosoja/MS ou o Sindicato Rural do seu município”, finalizou.

Realizado pela Fundação Chapadão, em Chapadão do Sul, a Tecnoagro está em sua 23ª edição e segue com programação até o dia 13 de março, entre 7h e 17h.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo