Assistentes sociais escolhem nos próximos dias a nova diretoria do CRESS/MS por meio do voto on-line

Duas chapas concorrem às eleições para o próximo triênio e a votação on-line acontece nos dias 10, 11 e 12 de março

A novidade do processo eleitoral do Conjunto CFESS/CRESS este ano é que o voto agora será on-line. A nova modalidade, além de garantir a diminuição dos custos operacionais do processo eleitoral, democratiza o ato de votar no âmbito da categoria profissional, pois não é obrigatório e passa pelo entendimento político do profissional para o fortalecimento da profissão.

Nos dias 10, 11 e 12 de março, os assistentes sociais escolherão entre as duas chapas que concorrem ao pleito e que terá o compromisso de administrar o CRESS 21ª Região/MS pelos próximos três anos.

Foto: Divulgação

Segundo a presidente do CRESS/MS, Lana Amaral, participar da escolha da próxima gestão do nosso conselho é uma das formas de exercer os direitos do assistente social dentro da organização político-administrativa da categoria. “É importante conhecer as propostas, os grupos que se constituíram em chapas para o pleito que elegerá o próximo triênio. Nossa participação nas eleições é importante não somente neste momento de escolha, mas estando presente ativamente nas comissões de trabalhos, nas reuniões de conselho pleno, nos debates, nas rodas de conversa e nas assembleias. Precisamos e devemos estar atentos ao movimento de defesa da nossa profissão”, ressalta Lana.

Para mais informações sobre o processo eleitoral do CRESS/MS e sobre as chapas que concorrem ao pleito acesse www.cress-ms.org.br.

Sobre o CRESS 21ª Região

O Conselho Regional de Serviço Social 21ª Região é uma autarquia com personalidade jurídica de direito público vinculado ao CFESS, com autonomia administrativa e financeira e jurisdição estadual. Nos termos da Lei 8662/93 tem como atribuições, dentre outras: organizar e manter o registro profissional dos assistentes sociais; fiscalizar e disciplinar o exercício da profissão de Serviço Social; zelar pela observância do Código de Ética Profissional, aplicando as sanções cabíveis, funcionando como Tribunal Regional de Ética Profissional.

O gerenciamento da entidade fica sob a direção de dezoito assistentes sociais com registro ativo no estado. A diretoria é eleita pela categoria para um mandato de três anos, sem remuneração, sendo permitida uma reeleição, com garantia de renovação de 2/3 de seus membros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo