Candidatos denunciam fraude na lotação de professores temporários da Reme

Diretores intencionalmente omitiram o quantitativo de vagas para garantir que os classificados não pudessem ter essa opção de lotação.

Candidatos da seleção para professores temporários da Prefeitura de Campo Grande estão revoltados com a denúncia de favorecimento na escolha de lotação, desobedecendo a ordem de classificação, nas escolas da Reme (Rede Municipal de Educação).

Segundo provas obtidas pela reportagem, diretores de algumas escolas da REME, com a participação de servidores da SEMED, estão fraudando a lista de vagas para manter seus apadrinhados que ficaram em colocações inferiores na ordem de classificação e correm o risco de não serem contratados.

Edital foi aberto em novembro para preenchimento de vagas em período superior de 15 anos (Foto: Divulgação)

Conforme um dos documentos obtidos, os diretores intencionalmente omitiram o quantitativo de vagas para garantir que os classificados não pudessem ter essa opção de lotação e assim, posteriormente, encaixar seus apadrinhados.

Segundo o grupo, que está em busca de apoio jurídico da ACP e da FETEMS, será feito um Boletim de Ocorrência e a denúncia está sendo encaminhada para o Ministério Público com documentos, e mensagens de WhatsApp que indicariam tal ação fraudulenta dos diretores e de servidores da SEMED para que os fatos sejam investigados e os agentes públicos sejam punidos.

A equipe de reportagem entrou em contato com a assessoria de comunicação da Prefeitura e com a titular da Semed para falar a respeito da denúncia, mas não obteve retorno.

A seleção

O processo seletivo foi aberto em novembro de 2019, para preenchimento de vagas em período acima de 15 dias. A contratação dos professores terá validade de 12 meses, contando da data de publicação da classificação do resultado final.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo