Academia Sul-Mato-Grossense de Letras completa hoje 48 anos de fundação e apresenta amanhã evento com especial programação

A Academia Sul-Mato-Grossense de Letras, a mais representativa entidade literocultural do Estado, completa hoje (30/10/2019) 48 anos de existência, e já preparou uma programação especial para evento que ocorrerá amanhã na sua sede situada na Rua 14 de Julho nº 4653 – Altos do São Francisco, Campo Grande.

Assim, o tradicional evento cultural “Chá Acadêmico” da ASL desta quinta 31, a partir das 19h30, que também lembrará o já saudoso acadêmico Abílio de Barros, que faleceu na segunda-feira p.p., apresentará uma concisa palestra com o poeta e repentista Ruberval Cunha, que explanará sobre o sugestivo tema: “Encontros para a poesia…” e, em interação com o público, ilustrará tudo com performances especiais do seu conhecido “Improviso Guaicuru”. Além da abertura artística especialmente elaborada, outra atração especial do evento será a participação de Roseléia Valadão, artista plástica, poeta e professora, que pintará um quadro temático ao vivo (no palco da ASL) durante a programação. E, na parte final, haverá a inauguração da Sala “Prof. Arassuay Gomes de Castro” nas dependências da instituição. Autor de várias obras, o Professor Arassuay (1926 – 2005) foi membro e presidente da ASL.

Sede da ASL em Campo Grande (MS) – Foto: ASL/Divulgação

O escritor e acadêmico José Couto Vieira Pontes, um dos fundadores da Academia, assim disse em recente depoimento: “Ao longo destas décadas, a ASL cobriu-se de glória, seja pela repercussão nacional de suas promoções culturais, seja pela produção literária de alto nível dos seus membros. O embrião da entidade foi o vitorioso lançamento da consagrada obra de Ulisses Serra, “Camalotes e Guavirais”, no dia 13/10/1971, em Campo Grande, uma noite de autógrafos inesquecível, até então jamais vista no Estado. Dezessete dias depois, em 30/10/1971, o confrade Ulysses Serra, numa manhã cheia de sol e cânticos de pássaros, convidou o poeta Germano Barros de Souza, bem com o autor destas linhas, e seguimos todos para a Estância Gisele, de propriedade de Ulysses, que lá serviu um lanche, com refrigerantes, tudo preparado por um atencioso caseiro. Quando o bate-papo literário já prosperara bastante, Ulysses subiu num caixote e disse aos companheiros: ‘A Academia de Letras e História de Campo Grande está fundada’. Nascia, assim, o nosso sodalício, à sombra do arvoredo, como no Jardim de Academos, na Grécia Antiga. Nessa histórica reunião, Ulysses Serra recitou versos de seu pai, o notável poeta Arnaldo Serra, autor do livro Aromita; Germano declamou poesias de seus vates preferidos, inclusive Júlio Salusse; eu me lembrei de Vicente de Carvalho e Augusto dos Anjos”.

A instalação oficial da Academia aconteceu no dia 13/10/1972, no saguão do Hotel Campo Grande, e o nome Academia Sul-Mato-Grossense de Letras veio no final de 1978, com o advento do novo Estado (Mato Grosso do Sul). Aos moldes da ABL, a ASL possui 40 cadeiras vitalícias e mantém uma história marcante voltada para a defesa do vernáculo e o cultivo da autêntica arte literária, zelando e incentivando todas as derivações da cultura nacional e estadual. A atual diretoria da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras é assim constituída: Presidente – acad. Henrique Alberto de Medeiros Filho; Vice-presidente – acadª. Raquel Naveira; Secretário-geral – acad. Rubenio Marcelo; Secretário – acad. Samuel Medeiros; Tesoureira – acadª. Elizabeth Fonseca; e Segundo-tesoureiro – acad. Valmir Batista Corrêa.  Maiores detalhes, como a composição atual de suas cadeiras, notícias recentes, edições dos suplementos culturais, artigos etc, podem ser conferidos no site oficial da Academia (endereço www.acletrasms.org.br).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo