Pesquisa inédita mostra que “Outubro Rosa” funciona entre mulheres

98,1% das mulheres brasileiras conhecem a campanha e 91,5% acreditam que o Outubro Rosa incentiva a prevenção

O Outubro Rosa nasceu nos EUA nos anos 90 e hoje faz parte do calendário mundial de ações de incentivo à prevenção do câncer de mama. No Brasil, empresas, marcas e ONGs se engajam em campanhas focadas na importância da realização de exames preventivos para detecção precoce da doença. O Instituto de Pesquisa Hibou ouviu durante as primeiras semanas do mês, 1470 mulheres em todo o país. 98,1% delas conhecem o Outubro Rosa e sua finalidade. 91,5% acreditam que a campanha funciona para alertar e lembrar sobre prevenção e exames. 63,3% lembram de comunicação de marcas sobre o assunto.

“63,3% das entrevistadas foram impactadas por anúncios de incentivo e conscientização sobre mamografia. O laço cor de rosa foi um dos pontos mais lembrados. As marcas lembradas mais citadas foram Avon, Hering, Riachuelo, Quem Disse Berenice, Omo, Itau, Natura, Discovery, Copacol, Adidas (Flamengo e São Paulo), Laboratório Fleury, Azul Linhas Aéreas, Unimed, A+, Artemisa, TV Gazeta e TV Globo. Apesar de antiga, a campanha ‘O câncer de mama no alvo da moda’ também foi lembrada na pesquisa”, diz Ligia Mello, diretora da Hibou, que liderou a pesquisa.

53,7% das mulheres já fez mamografia na vida. 64,8% das mulheres fazem mamografia uma vez ao ano. 47,9% fazem o autoexame “só às vezes, quando lembram”, contra 34,3% que fazem regularmente. “Este dado mostra como é importante a campanha global que incentiva o autoexame e outros cuidados. Já que quase metade das mulheres só faz o autoexame quando lembra”, diz Ligia.

Das 46,3% que não fez a mamografia, 52,9% foi porque o médico ainda não recomendou por causa da idade. A idade média que as entrevistadas acreditam ser ideal para a mamografia é 32 anos, tendo havido respostas de 12 anos de idade, até 50.

81,1% das mulheres conhecem alguém que teve câncer de mama. Médicos e especialistas dividem a função de fonte de informação sobre o tema com… As redes sociais! 53,1% das entrevistadas se informam sobre sintomas e prevenção pelas redes sociais, enquanto 53,4% preferem os médicos e especialistas.

Os homens ainda não se sentem parte da campanha Outubro Rosa. Apenas 91 homens responderam a pesquisa, contra 1470 mulheres. Enquanto isso, 94,7% das mulheres entende que esse não é um assunto estritamente feminino. “Elas acreditam que o homem deve assumir o papel de disseminador de informações e apoiador do movimento”, conclui Ligia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo