Você sabia que um coração partido pode evoluir para uma síndrome que afeta a saúde do coração?

Situações de estresse emocional e físico extremos podem ocasionar essa condição, que afeta principalmente mulheres em idade mais avançada

São Paulo (SP) – A síndrome de takotsubo ou síndrome do coração partido é uma doença que começa a partir de uma situação de extrema tristeza, estresse, infelicidade e pode evoluir para um quadro de sintomas físicos de dor súbita e intensa no peito. Ela é facilmente confundida com um ataque do coração, com a diferença de que o paciente não apresenta qualquer problema cardíaco comprovado, ou seja, ele é saudável do ponto de vista cardiológico.

Pacientes diagnosticados com essa síndrome geralmente passaram por uma situação de estresse emocional ou físico extremos. “Podem ser casos de doenças que deixam a pessoa muito emotiva como a morte de um familiar ou alguém querido, uma separação ou traição, a perda de um emprego ou qualquer outro tipo de situação que cause uma emoção forte”, explica Marcelo Sampaio, cardiologista da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo. Esse elo estabelecido entre sentimentos de dor e a manifestação de sintomas de uma cardiopatia é um dos principais indícios de que seja um quadro de síndrome de takotsubo.

Não há como diagnosticar a síndrome antes que ela evolua para um quadro semelhante ao de um infarto e a pessoa procure ajuda médica. Como explica o cardiologista da BP, o paciente chega a um pronto-socorro com arritmia, falta de ar, sudorese intensa, fortes dores no peito e palidez. “Ele fará um cateterismo, mas a imagem não encontrará nenhuma artéria bloqueada”, garante o médico. “Apenas depois de uma avaliação dos exames e do histórico desse paciente será possível descartar o ataque cardíaco e fechar um diagnóstico de síndrome de takotsubo” explica o especialista.

De acordo com Sampaio, mulheres em idade mais avançada são mais propensas a sentir essa dor súbita e intensa no peito – uma reação a hormônios do estresse lançados na corrente sanguínea – e receberem o diagnóstico de síndrome de takotsubo. “Isso ocorre porque elas têm respostas hormonais e genéticas diferentes de homens frente a situações de dor e são mais atingidas”, diz o cardiologista. Hoje, cerca de 80% dos casos registrados são entre o sexo feminino.

Após o diagnóstico, o tratamento buscará apenas o alívio dos sintomas apresentados pelo paciente até que seu coração se reestabeleça. Em pouco tempo, ele voltará a ter uma vida normal e não terá qualquer sequela ou problema cardíaco grave relacionados ao caso.

Japoneses detectaram os primeiros casos

No Japão, os takotsubos são potes usados como armadilhas para capturar polvos. A síndrome recebeu esse nome pois, ao passar por um cateterismo, médicos daquele país notaram o quanto o coração mudava de formato, assemelhando-se ao recipiente. No meio médico, a síndrome de takotsubo também é conhecida como cardiomiopatia induzida por estresse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo