Projeto de lei propõe acompanhamento integral de alunos com transtornos de aprendizagem

Ainda em tramitação no Senado, a proposta já é colocada em prática no Colégio Objetivo, que dispõe aos alunos com dificuldades acompanhamento pedagógico direcionado

Foto: Shutterstock

É comum, durante a vida escolar, que alunos enfrentem dificuldades de aprendizagem. No entanto, para aqueles que possuem dislexia, transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) ou qualquer outra perturbação que dificulte a captação do conhecimento, a trajetória educacional exige uma maior atenção.

Nesse sentido, tramita no Senado Federal o projeto de lei 3.517/2019, que dispõe sobre o acompanhamento integral para educandos com transtorno de aprendizagem. O projeto foi aprovado na terça-feira (10) pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) e segue para as Comissões de Assuntos Sociais (CAS) e de Educação, Cultura e Esporte (CE), que tomará a decisão final sobre a pauta.

De acordo com o texto, os percalços podem ser superados com o acompanhamento de tutores e programas de educação especializados, que orientarão o aluno com dificuldades a alcançar o sucesso.

Exemplo de inclusão

A proposta do PL determina que escolas públicas e privadas garantam cuidado e acompanhamento específico aos alunos com transtornos de aprendizagem, bem como orientação das áreas de saúde e assistência social.

A medida, apesar de ainda em tramitação, já é realidade nas unidades do Colégio Objetivo no Distrito Federal. A escola oferece serviços de orientação especializados que são adaptados segundo a dificuldade do aluno.

“O acompanhamento com alunos que possuem qualquer transtorno requer bastante atenção com cada um e em cada detalhe. Tudo é feito conforme descrito no relatório presente no laudo médico”, explicou Keila Espíndola, pedagoga e psicopedagoga do colégio Objetivo.

Na escola, os alunos que possuem transtornos de aprendizagem recebem um acompanhamento especial. Se necessário, há adequação curricular com a discriminação dos pré-requisitos que são fundamentais para cursar o ano letivo de forma satisfatória.

Keila informou que há também casos em que não é necessária uma adequação, mas é preciso dar a devida atenção: “às vezes o aluno precisa de uma prova com linguagem mais clara, textos menores, estar sentado sempre à frente da sala e dentro do campo de visão do professor”, exemplificou a pedagoga.

Cuidados especiais com estudantes que possuem dificuldade de aprendizagem contribuem para o êxito durante a vida escolar, por isso o colégio Objetivo prepara os professores e orientadores para melhor atingir positivamente o educando. “A escola se adapta no acompanhamento e na aplicação de avaliações de acordo com o que está escrito no relatório médico”, concluiu Espíndola.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo