Ministério da Cidadania oferta capacitação profissional a moradores da Rocinha

Por volta dos oito anos de vida, as condições financeiras da família fizeram com que Antônia Lúcia Araújo abandonasse a escola. Tanto tempo no mercado informal a afastou do sonho de receber profissionalização. Até que, aos 56 anos, a oportunidade chegou à moradora da comunidade da Rocinha, em São Conrado, Rio de Janeiro. Fruto de parceria com o Ministério da Cidadania e a prefeitura do Rio de Janeiro, o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial, o Senac, oferta profissionalização gratuita na Rocinha. Foi na unidade que a vida de Antônia ganhou novos contrastes.

Com o emprego, ela conquistou a independência dos programas sociais do governo federal.

Para ingressar em um dos cursos do Senac Rocinha é necessário estar inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal. A ação é conduzida pelo Ministério da Cidadania, que repassa aos gestores da instituição a situação cadastral dos interessados em participar. A coordenadora pedagógica do Serviço, Andrea Gomes, explica como funciona esse processo.

O conteúdo oferecido não é meramente técnico. A formação é voltada a oportunidades com boas perspectivas no mercado de trabalho, sejam em restaurantes, bares ou hotéis, por exemplo. Orientações de postura e comunicação também são algumas lições importantes repassadas aos estudantes, afirma a gerente do Senac Rocinha, Gisele Canto.

No Senac Rocinha, a profissionalização tem foco em turismo e hotelaria. Ao todo, são dezoito cursos disponíveis para atuar nas áreas, entre Formação de Garçom, Recepcionista em Meios de Hospedagem, Assistente de Logística, Organizador de Eventos, Práticas Administrativas, Inglês Básico e outros. Desde que ingressou na unidade, sonhar e planejar o futuro tornou-se possível para Claudicéia Conceição Mesquita: ela quer ser camareira em diversos lugares, ganhar o mundo afora, de hotel em hotel.

Jorge Manoel Oliveira está em uma das turmas de Porteiro e Vigia. Para ele, a oportunidade de ingresso em um curso técnico e profissionalizante beneficia não apenas ele próprio, como também toda a comunidade.

O ministro da Cidadania, Osmar Terra, ressalta que a proposta desenvolvida no Senac Rocinha é um exemplo de como o governo federal pretende trabalhar com jovens, em especial os filhos de famílias mais pobres, que precisam ter uma outra perspectiva de vida.

Em julho, o Ministério da Cidadania também firmou parceria com outra instituição do Sistema S, o Serviço Social da Indústria, o Sesi, que irá promover o ensino profissional a 800 mil jovens inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal. O acordo de investimento é de mais de dois bilhões de reais para qualificação de jovens. Saiba mais sobre os programas e ações do Ministério da Cidadania em cidadania.gov.br.

Ouça aqui (4’44)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo