Ioga, saúde digital e novas terapias gênicas são alguns dos temas de estudos apresentados durante o ESC Congress 2019

Cardiologistas da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo comenta alguns dos trabalhos que ganharam destaque durante as discussões do principal evento europeu sobre saúde do coração

São Paulo (SP) – Diversas atualizações fizeram parte das discussões do ESC Congress 2019, que ocorre em Paris, com a participação de cardiologistas da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo. Durante as sessões, novos temas e estudos chamaram a atenção dos profissionais da BP, dentre eles casos importantes para a saúde cardiovascular. Separamos alguns destaques:

Ioga ajuda na reabilitação cardiovascular

A adoção de uma terapia multimodal tem um papel decisivo para o reestabelecimento do paciente. E foi durante as apresentações do ESC Congress 2019 que os presentes souberam que a prática da ioga pode colaborar para a saúde do coração. Dois estudos indianos sobre reabilitação cardiovascular mostraram a interferência positiva da ioga para a saúde do paciente e comprovaram que essa prática, voltada aos movimentos respiratórios, treino, concentração e busca do equilíbrio, auxiliam na recuperação de um evento cardiovascular, especialmente de pacientes que já infartaram. Por um ano pacientes que tiveram infartos graves receberam acompanhamento multidisciplinar. Além da reabilitação cardiovascular normal, incluiu-se terapia com ioga e os resultados foram extremamente positivos para trazer de volta a qualidade de vida.

Foto: Divulgação

Inteligência artificial e saúde digital

Cada vez mais a Medicina terá como aliada a inteligência artificial. Dentro do ESC Congress 2019 os participantes, pela primeira vez, encontraram uma área dedicada à saúde digital. De acordo com o cardiologista da BP Renato Hortegal, a inteligência artificial contribuirá para a segurança dos dados do paciente e para o estabelecimento de modelos de predição e scores de risco. “Esse tipo de inteligência artificial tem uma implicação prática quando o médico está em dúvida se pode liberar um paciente ou não, pois esse modelo consegue me dizer qual é o risco dessa decisão”. [RM1]

Tratamentos gênicos de doenças cardiovasculares

O ESC Congress 2019 apontou que novas terapias gênicas ganham força nos tratamentos de doenças cardiovasculares. Um estudo apresentado no congresso mostrou que uma nucleasse, uma enzima que atua na síntese do DNA, tem a capacidade de editar a parte do nosso código genético responsável pela mutação ou eventual causa de doença cardíaca. O cardiologista da BP Marcelo Sampaio, presente no evento, afirma que são estudos iniciais e que há considerações éticas sobre os temas, mas que “já se presume que, em um futuro próximo, essas doenças podem ser tratadas por meio de partículas virais, levando a edições gênicas que corrijam os defeitos que geraram as doenças”.

Impacto do sono na saúde cardíaca

A saúde do nosso coração tem relação com o sono? De acordo com o cardiologista da BP Fábio Gaiotto, um estudo alemão feito com 3.500 pacientes, por 15 anos, mostrou que sim. Ao longo dos anos foi avaliado o impacto da qualidade do sono nos níveis pressóricos e ficou comprovado que esses níveis se alteram quando o sono não tem uma qualidade adequada. “A preocupação com a qualidade do sono é importante para o controle da pressão e para a cardiologia preventiva, uma vez que a hipertensão causa acidente vascular encefálico (AVE) e infarto, por exemplo”, disse o médico da BP.

Educação e saúde cardiovascular caminham juntas

Estudo realizado nos países nórdicos comprovou que, quanto maior o nível educacional e sociocultural das pessoas, menor a incidência de eventos cardiovasculares como acidente vascular encefálico (AVE), infarto e morte por doenças ligadas ao coração. Isso traduz uma necessidade de autocuidado. “Quanto mais educada a população é, mais autocuidado existirá e, assim, é possível melhorar a qualidade de vida, a taxa dos eventos cardiovasculares e, consequentemente, a sobrevida da população”, recomenda o cardiologista Fábio Gaiotto. Educação e saúde cardiovascular andam juntas.

O colesterol não deixou de ser um vilão

De acordo com o cardiologista clínico da BP Marcelo Sampaio, os vários estudos mundiais continuam comprovando o quanto o mau colesterol afeta a saúde cardíaca, ao contrário do que muitas matérias jornalísticas têm informado. Então, ainda é preciso se preocupar com os níveis de colesterol e de LDL colesterol. E, segundo o cardiologista, como o mau colesterol tem nítida relação com a nossa alimentação, é necessário cuidar da nossa alimentação e com a ingestão de gorduras.

Esses são alguns dos destaques apresentados nos primeiros dias do ESC Congress 2019. Alguns vídeos trazendo as novidades do congresso poderão ser conferidos no Crescer Juntos, um hub de conteúdos de saúde produzidos pelos médicos da BP a partir da participação em diversos eventos médicos internacionais. Esse repositório de conteúdo está sendo atualizado em tempo real durante a realização do ESC Congress 2019. Também colocamos nossos diversos especialistas à disposição para entrevistas em primeira mão sobre esses e outros temas que estão sendo discutidos no evento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo