Volvo XC40 híbrido faz até 50 km/l e chega em 2020 abaixo dos R$ 240 mil

O SUV será o híbrido do tipo plug-in mais acessível do fabricante

O XC40 T5 Twin Engine é o próximo lançamento com motor híbrido da marca. (Foto: Divulgação)

O XC40 T5 Twin Engine é o próximo lançamento com motor híbrido da marca. (Foto: Divulgação)

Os planos de eletrificação da Volvo estão cada vez mais ambiciosos. Executivos da marca sueca conversaram sobre os próximos movimentos da sueca durante o lançamento do novo S60 em Santiago, Chile.

“Atualmente, a Volvo tem 22% do portfólio eletrificado, número que vai dobrar no ano que vem”, afirma Camila Mateus, head de marketing da Volvo no Brasil.

Além do XC60 T8, o aumento de volume dos eletrificados será amparado pelo modelo de maior sucesso da marca no mercado nacional: o Volvo XC40, que passará a contar com a versão T5 Twin Engine a partir do primeiro trimestre de 2020.

O SUV será o híbrido do tipo plug-in mais acessível do fabricante. Segundo apuração, o seu preço ficará pouco acima do pedido pelo XC40 T5 R-Design (R$ 222.950), algo entre R$ 230 mil e R$ 240 mil. Bem abaixo dos R$ 254.950 pedidos pelo XC60 Momentum. O SUV maior também tem versão plug-in, porém o valor de R$ 299.950 a coloca em outro patamar.

O XC40 T5 Twin Engine será o primeiro modelo da gama com o novo motor 1.5 turbo de três cilindros. Em outras configurações, o motor T3 não é trazido, uma vez que faz mais sentido em mercados com regras de emissões ultra restritas. Mas o plug-in é outro bicho.

A começar pelo fato de ser um híbrido capaz de ser recarregado na tomada e que tem uma autonomia extensa no modo puramente elétrico.

Como em outros carros do tipo, o motor a combustão tem o auxílio de um propulsor elétrico. O 1.5 gera 180 cv e o seu par incrementa a conta com outros 82 cv. Com isso, são 262 cv de potência, contra 163 cv do T3 convencional. O torque combinado chega a 43,3 kgfm.

Ao contrário das demais configurações do XC40, o híbrido aposta em uma transmissão automática de dupla embreagem e sete marchas, enquanto os companheiros têm o conhecido câmbio automático convencional de oito velocidades.

O XC40 híbrido pode percorrer até 46 km no modo totalmente elétrico (Foto: Divulgação)

O XC40 híbrido pode percorrer até 46 km no modo totalmente elétrico (Foto: Divulgação)

O rendimento fica próximo dos 247 cv/35,7 kgfm do XC40 T5 convencional. Entretanto, o SUV a combustão tem desempenho mais afiado. Ele exige apenas 6,5 segundos para ir de zero a 100 km/h em e alcança 230 km/h, números melhores do que os 7,3 s e 210 km/h do TwinEngine.

Nesse ponto, o híbrido se aproxima mais da performance do T4 2.0 turbo de 190 cv. Nas arrancadas, o XC40 normal leva vantagem pela tração integral, recurso indisponível no plug-in.

O troco vem na hora da medição de consumo. O XC40 Twin Engine faz até 50 km/l, um número surreal quando comparado com os 12 km/l do parente a combustão (com gasolina pura). Somado a isso, suas emissões de CO² por km equivalem a ¼ do emitido pelo T5.

Novo Volvo XC40 (Foto: Divulgação)

Novo Volvo XC40 (Foto: Divulgação)

A economia é explicada pelo auxílio do motor elétrico. O XC40 é capaz de rodar até 46 km no modo elétrico. Seu pack de baterias de íon de lítio pode ser recarregado em tempos que vão de 3 horas (carregador rápido) a 9 horas (tomada doméstica).

Versão elétrica

Caberá o XC40 inaugurar a fase de elétricos puros da Volvo no Brasil. Ainda não revelado no exterior, o SUV deve começar a ser comercializado em 2020. Mas demorará mais um pouco para chegar ao nosso país. Por ora, não há uma previsão inicial, contudo a importação para o mercado nacional é dada como certa.

A única questão é em relação à demanda pelo modelo em outros países, uma vez que o XC40 tem uma demanda ainda não atendida pelo volume de produção. A situação vai mudar com a produção do utilitário na China.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo