TVE Cultura reúne setor audiovisual de MS e anuncia edital de R$ 6 milhões para produções

Fundo Setorial do Audiovisual, do BRDE e Ancine, e contrapartida do Governo do Estado vão financiar até 11 diferentes atrações produzidas no Estado

Reunião na noite de terça-feira (20) no auditório da Fertel (Fundação Luiz Chagas de Rádio e TV Educativa de Mato Grosso do Sul) tratou de detalhes para a abertura do primeiro edital público para produção de conteúdo da TVE Cultura, que prevê R$ 6,1 milhões para o financiamento de programas a serem exibidos pela emissora sul-mato-grossense. Os recursos são do FSA/BRDE/Ancine (Fundo Setorial do Audiovisual/Banco Regional de Desenvolvimento Econômico/Agência Nacional de Cinema), com contrapartida do Governo do Estado.

A reunião, convocada pelo Colegiado Audiovisual de Mato Grosso do Sul, visou a apresentar ao setor o público-alvo das futuras atrações e critérios para participação do edital, bem como captação de sugestões que, agora, serão apresentadas à direção da TVE Cultura para finalização do edital, conforme explicou Carlos Diehl, diretor, produtor e editor da emissora e que participa dos debates envolvendo o edital.

Produtores de conteúdo de MS participaram de reunião. (Foto: Carlos Diehl/Arquivo Pessoal)

Os 11 projetos a serem desenvolvidos foram divididos em quatro categorias (livre, infantil, jovem e adulto), envolvendo material ficcional, documentários e animação, que, ao serem finalizados, serão exibidos na emissora. Do total a ser investido, R$ 6 milhões virão da Ancine e R$ 126 mil são contrapartida estadual, compondo o maior volume de recursos já inclusos em um edital do gênero no Estado.

“Não é só recurso para o audiovisual, mas para todas as artes de Mato Grosso do Sul. Representa um avanço sem precedentes. Só este edital da TVE Cultura é 50% maior do que os que tivemos em 2018 pelo Fmic (Fundo Municipal de Investimento Cultural) e da gestão anterior da Fundação de Cultura no FIC (Fundo de Investimento Cultural)”, lembrou Diehl, apontando que setores como música, dança e teatro, entre outros também serão impactados.

Pelo colegiado, Fábio Flecha, Tânia Sazza e Ulisver Silva vinham acompanhando junto a Ancine a abertura de financiamentos para fomento da produção audiovisual, ao mesmo tempo em que discutiram com a Fertel detalhes sobre o foco dos programas a serem elaborados –dentro das temáticas previstas no fundo setorial.

Bosco destacou preocupação da Fertel com produção focada no público infantil. (Foto: Pedro Amaral/Fertel)

Entre as solicitações, o diretor-presidente da Fertel, Bosco Martins, salientou a preocupação maior com a produção infantil –dividida em quatro obras– a qual, no passado, a atual TVE Cultura tem um histórico bem-sucedido. “Enquanto TVE Regional, a emissora contou em sua grade com o ‘Corixos e Cochichos’, que abordava temas como a educação ambiental sob a ótica dos bichos do Pantanal, educando de forma lúdica nossas crianças”, ilustrou.

Além dessa experiência positiva, Bosco frisou que, hoje, a TVE Cultura é parceira da TV Cultura de São Paulo, mundialmente conhecida pela qualidade de sua programação e que, hoje, oferece para as famílias um grande portfólio de atrações infantis.

“Mais do que uma ‘babá eletrônica’, a grade infantil da TV Cultura educa e diverte crianças de diferentes idades com produções de alcance mundial, entre desenhos animados e programas como a Vila Sésamo. Sabemos ter condições de produzir atrações com o mesmo apelo, mas com um toque regional, que é a marca maior da TVE Cultura”, explicou o diretor-presidente, que apontou ainda a diretriz atual do Governo do Estado em melhorar os serviços prestados à população.

“Por meio da Fertel, o Governo do Estado pretende apoiar a produção artística, também uma origem de empregos e renda para famílias ao mesmo tempo em que se mantém vivas histórias e registros do nosso tempo. Trata-se de um projeto fantástico do qual temos orgulho de participar”, complementou Bosco. O edital passa por adequações e, nas próximas semanas, deve ser oficialmente lançado.

Diehl participa da elaboração de edital focando em 11 produções e salienta impacto para as artes de MS com a iniciativa. (Foto: Pedro Amaral/Fertel)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo