Fundação do Câncer conclui as obras do Primeiro Centro de Processamento Celular do Mato Grosso do Sul

Foto: Divulgação

A população da região centro-oeste brasileira irá contar com um núcleo avançado de processamento celular na cidade de Campo Grande (MS). Foram finalizadas as obras do Centro de Processamento Celular (CPC), instalado nas dependências do Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (HUMAP-UFMS). O Centro foi projetado para processar células tronco para transplante de medula óssea, uma carência existente no estado, onde são registrados mais de 8.700 novos casos de câncer anualmente, de acordo com estimativa do INCA.

Contando com equipamentos e área física diferenciada, a unidade, que passa a funcionar plenamente no ano que vem, terá a capacidade de armazenar, inicialmente, 3,6 mil bolsas de sangue de cordão umbilical, para atender as necessidades de transplante de células tronco. O CPC de Mato Grosso do Sul é o 16º a compor o Rede Brasileira de Bancos Públicos de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário (RedeBrasilCord), do Ministério da Saúde. Atualmente, existem 84.554 doadores cadastrados no Estado do Mato Grosso do Sul na listagem da RedeBrasilCord e no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome). Destes, 57 efetivamente já fizeram doação de medula, beneficiando 31 pacientes. Com o novo CPC estes números poderão ser maiores, o que aumenta as chances de mais vidas serem salvas.

A iniciativa vem contemplar uma necessidade local. “Com a coleta de bolsas de sangue de cordão umbilical e de sangue periférico da população de Mato Grosso do Sul e região estaremos contribuindo para maior variedade genética e compatibilidade para os transplantes de pacientes com suas cargas genéticas características desta área territorial do Brasil, historicamente formada por andinos, descendentes europeus e índios”, salienta o cirurgião-oncológico Luiz Augusto Maltoni Jr., diretor executivo da Fundação do Câncer.

O HUMAP-UFMS celebrará parcerias com as secretarias Estadual e Municipal de Saúde para compor uma equipe especializada para treinamentos pela Fundação do Câncer e início de atividades, após capacitações dos profissionais e habilitação do CPC pelo Ministério da Saúde. O Centro de Processamento Celular terá potencial para realizações de exames especializados que apoiarão a assistência e m saúde dos usuários do HUMAP-UFMS e de toda população de Mato Grosso do Sul, ao mesmo tempo poderá realizar pesquisas e gerar conhecimentos, acerca da terapia celular.

O CPC Campo Grande é fruto de um convênio da UFMS com a Fundação do Câncer, responsável pela gestão do projeto de expansão da Rede Brasileira de Bancos Públicos de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário (RedeBrasilCord). O projeto conta ainda com a supervisão técnica do Instituto Nacional de Câncer (Inca) e financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

A Fundação do Câncer

A Fundação do Câncer esteve à frente de toda a implantação do projeto de arquitetura, contratação das obras e das instalações dos serviços técnicos especializados, bem como a compra e instalação de todos os equipamentos, além da aquisição dos materiais operacionais e de apoio. Importante ressaltar que, a instituição é responsável por operacionalizar toda a logística, para treinamento de pessoal e a administração do cronograma, desde e início das obras até o funcionamento pleno do CPC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo