Mercado Municipal de Santo Amaro terá reforma iniciada ainda em 2019

Engemon, Houer, Supernova e Urbana, do Consórcio Fênix, estão em fase de elaboração do projeto executivo; Ambientação mais moderna irá privilegiar conforto dos clientes; serão 160 boxes incluindo restaurantes, com varanda, espaço kids e no terraço teremos um espaço para eventos

São Paulo (SP) – A Engemon Engenharia, empresa brasileira focada em engenharia multidisciplinar e tecnologia e as demais empresas do Consórcio Fênix, Houer Concessões, Supernova Participações e Urbana Arquitetura, estão elaborando o projeto executivo do Mercado Municipal de Santo Amaro, que será totalmente remodelado. O investimento será para, entre outras melhorias, tornar o espaço um centro de eventos do bairro e um novo polo gastronômico da cidade de São Paulo. “Vamos inaugurar uma nova fase deste, que é um dos espaços mais importantes de confraternização da comunidade local”, afirma Marco Alberto da Silva, Presidente da Engemon, que tem 50% de participação no Consórcio e uma das representantes do Consórcio Fênix.

Mercado Santo Amaro em São Paulo – Fotos: Divulgação

“Estamos alinhados com o que há de melhor e mais moderno nesse modelo de negócios no mundo. O Mercado de Santo Amaro será um Centro Gastronômico de convivência, permanência e circulação do público. O projeto privilegia o conforto dos clientes, o conceito de “fresh food”, a sociabilização e um mix de produtos e serviços diferenciados”, completa.

As mudanças incluem ampliação e padronização das lojas – serão 160 boxes e um com espaço para eventos. Eles terão diversos tamanhos, restaurantes com varandas, espaços compartilhados para alimentação, horta orgânica, espaço kids, além de um boulevard especialmente projetado para eventos, como aulas de culinária ou shows intimistas, para ser mais um ponto de contato para os comerciantes do mercado.

Etapas

O projeto será dividido em duas etapas. Na primeira, os permissionários serão reacomodados na parte a ser revitalizada. Na segunda, será entregue toda a ampliação totalizando mais de 11.000 m2. A obra deve ser concluída em dois anos. “O incêndio que atingiu o “mercadão” em 2017 destruiu 70% de todo o espaço; por isso, será uma reforma de grande porte. É uma motivação para estimular a retomada do convívio dos moradores locais”, salienta Silva.

.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo