A censura calou de vez Paulo Henrique Amorim

Jornalista Paulo Henrique Amorim – Foto: Arquivo Pessoal

Oficialmente terá sido um infarto fulminante que calou a voz do jornalista Paulo Henrique Amorim, aos seus 77 anos, na madrugada da quarta-feira (10/07). Certamente haverá meios de confirmarem cientificamente a causa-mortis. Nenhum laudo, porém, afastará de seus amigos a percepção de que o problema cardíaco tem ligação direta com a censura que lhe foi imposta. Censura provocada pela pre$$ão do desgoverno Bolsonaro junto à Rede Record, do bispo Edir Macedo, que em 24 de junho o afastou do seu programa semanal – Domingo Espetacular.

Nos meus 46 anos de profissão jamais trabalhei diretamente com PHA. Em um período, 1978, estivemos juntos no Jornal do Brasil. Mas ele na sede, no Rio de Janeiro, como editor-chefe. Eu, em Brasília, ainda como repórter iniciante. Ao longo do tempo tínhamos referências mútuas. Porém, só fomos manter diálogos mais constantes quando, a partir de 2016, surgiram os processos contra este Blog, por conta dos delegados da Lava Jato. Em especial a delegada Erika Mialik Marena.

Nos aproximamos nessa luta contra a censura e o autoritarismo de policiais e também dos juízes de primeira instância – no caso dele, muitas vezes, também nos tribunais – que desrespeitando a Constituição nos impuseram censura. Uma luta que também inclui a prática de disseminarem ações nos mais diversos pontos do país. O que nos obriga a gastos não apenas com as defesas, mas também com deslocamentos constantes e muita perda de tempo de trabalho.

Continua: https://marceloauler.com.br/a-censura-calou-de-vez-paulo-henrique-amorim/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo