Oficina revisa Plano de Manejo da Área de Proteção Ambiental-APA Sete Quedas de Rio Verde

A elaboração do um Plano de Manejo de uma APA – Área de Preservação Ambiental, pressupõe a utilização de metodologia participativa, ou seja, o desenvolvimento de atividades que possibilitem a inclusão da sociedade e parceiros institucionais, visando seu envolvimento e comprometimento nas estratégias e ações propostas.

O planejamento participativo tem maiores condições de compatibilizar as demandas da sociedade principalmente da parcela da população que enfrenta maiores dificuldades de acesso aos serviços públicos às diretrizes estratégicas e linhas de ações prioritárias a serem previstas e recomendadas, tendo em vista o bom cumprimento dos objetivos de gestão da APA.

Fotos: Victor Currales

Por isso foi realizado na última sexta-feira (14/06), a 1ª Oficina para Revisão do Plano de Manejo da APA Sete Quedas do Rio Verde, que aconteceu no Plenário Vereadora Lidia Maria Anciães Duailibi Malhado na Câmara de Vereadores de Rio Verde de Mato Grosso-MS, oportunidade cujo processo participativo permite a construção de um pacto sobre usos no território da APA Sete Quedas do Rio Verde, possibilitando maiores condições de efetividade do Plano de Manejo, e, consequentemente, da gestão da unidade de conservação.

A metodologia delineada segundo a Fibracon Ambiental, empresa responsável pela elaboração do Plano de Manejo da APA, busca o envolvimento da sociedade local tanto na elaboração, quanto na revisão do Plano de Manejo, tornando-a partícipe e corresponsável das estratégias estabelecidas.

Esta condução significa uma oportunidade para se obter o reconhecimento da importância da APA Sete Quedas do Rio Verde, e de sua contribuição para a sociedade e, também à identificação e ordenamento de atividades socioculturais e econômicas de interesse da comunidade que utiliza a APA, procurando incorporar ao Plano de Manejo práticas que possibilitem o uso sustentável dos recursos e, ao mesmo tempo, desenvolvimento social justo e equitativo, explicou o Biólogo José Milton Longo, da Fibracon.

Fotos: Victor Currales

Para o empresário do ramo turístico, Evaldo Maciel, o município está de parabéns e avança consolidando a importância da APA Sete Quedas do Rio Verde, norteando a sua vocação e finalidade e nesta oficina de revisão ninguém dos presentes fez críticas ao plano.

“O plano é de fundamental importância para todos os atores envolvidos em sua elaboração, que ele teria validade para cinco anos e nesta data dois antes desse vencimento ele já está sendo revisado e com isso está de parabéns a gestora do município”, afirmou Maciel.

A Assessoria Especial de Turismo e Meio Ambiente de Rio Verde de Mato Grosso-MS, destacou a importância a realização dessa Oficina de Revisão do Pano de Manejo da APA, uma vez que foram esclarecidos alguns pontos que geram recentemente conflitos de interpretação do que pode ou não pode ser feito dentro da APA no sentido da exploração ou investimentos.

Fotos: Victor Currales

“A presença da empresa que coordenou a realização do Plano de Manejo da APA, esclarecendo as dúvidas dos proprietários de balneários, fazendeiros e da comunidade em geral, deixou claro que o intuito do plano de manejo, da criação da APA e da gestão municipal é a proteção do principal ativo que é o Rio Verde de uma maneira sustentável para que todos possam trabalham em suas áreas”, explicou a Assessora de Turismo e Meio Ambiente, Vanusa da Silveira.

Espera-se com isso que a APA Sete Quedas do Rio Verde ao promover o envolvimento das instituições locais e as esferas governamentais na conservação e manejo sustentável da APA, possa continuar ações de proteção dos recursos naturais dentro da UC através de estreita parceria com órgãos estaduais, federais e municipais de fiscalização evitando que ações degradadoras causem impacto na biodiversidade e uso sustentável da APA Municipal Sete Quedas do Rio Verde.

Fotos: Victor Currales

A APA

A APA Municipal Sete Quedas do Rio Verde, foi criada pelo Decreto Lei N 0800 de 28 de abril de 2005, com uma área de 18.825,4671 ha de uma área total da Micro Bacia de 22.000 há, sendo que 4.000 ha, encontram–se no perímetro urbano.

Participaram da 3ª Oficina de Revisão do Plano de Manejo da APA, o presidente da Câmara de Vereadores, Riovaldo Pires Martins, Olavo Castro Lemes, Secretário Municipal de Finanças, Edgar Dutra Martos, Coordenador Municipal do PROCON/RV, Dinalva Gomes Viana, Secretária Municipal de assistência social e Vice-Prefeita do município, Ramona Souza Pires, Coordenadora Municipal do CIAT, Valdemir Peixoto, Secretário Municipal de Administração, proprietário de balneários, produtores, empresários além de outras autoridades convidadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo