Pobreza ou Miserabilidade?

Este é um trabalho não prazeroso, devido a dor ao ver o que a miséria traz ao ser humano, porem a necessidade de trazer às pessoas, a visão da pobreza é imperiosa. Nua e crua, sem expectativa de vida. Trago a vocês um passeio, extremamente necessário, que é visualizar a pobreza da África. Antecipadamente, faremos uma abertura sobre os 10 países mais pobres. Não vamos falar sobre o continente africano, mas sim sobre a pobreza africana. Esse é o nosso objetivo; despertar consciências, despertar sabedorias para que seja um ser humano capaz de auxiliar um africano miserável. É importante fazer a distinção entre miserável e pobre, porque há diferença entre os dois. Ser pobre é passar falta das coisas e miserável é nunca ter as coisas. A pobreza destes países, é extrema, chegando a miserabilidade. Este é o motivo pelo qual estamos escrevendo, conscientizando, para que todos leiam e se compadeçam destes seres miseráveis.

Criado nos anos 1990, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) tornou-se referência para medir a evolução dos países e a qualidade de vida dos povos. Austrália, Canadá e Noruega, que ocupam as primeiras posições do IDH desde sua instituição, destacam-se não só pela renda alta, mas pelas expectativas e possibilidades de evolução profissional e pessoal oferecidas à população. Os últimos colocados são os países africanos, que também vêm se revezando na posição ao longo dos anos. São nações que se livraram da dominação colonial recentemente e foram abandonadas. Sofrem conflitos étnicos e carência de recursos naturais, problemas ampliados pela má distribuição de renda e crises constantes nas áreas de saúde, saneamento básico e alimentação.

Os países mais pobres do mundo, bem como os mais ricos e intermediários, são classificados em uma lista de países distribuída com base no IDH; o mais atual foi divulgado em 2018. Dos 193 membros, 189 fornecem dados para serem analisados pelo Índice de Desenvolvimento Humano. Para essa classificação são levados em consideração a riqueza de cada nação, o nível de educação, a expectativa de vida, a mortalidade infantil e diversos outros fatores relacionados à saúde e desenvolvimento. A fórmula foi criada na década de 90 por dois economistas: Mahbub ul Haq e Amartya Sem, um paquistanês e indiano, respectivamente.

Estes são os países considerados, pelo IDH, mais pobres do planeta: Níger, República Democrática do Congo, Moçambique, Burkina Faso, Zimbabwe, Eritreia, República Centro-Africana, Burundi, Serra Leoa e Guiné-Bissau. Nos artigos subsequentes, faremos uma pequena apresentação para que tenhamos uma ideia da miserabilidade africana. Claro que não estudaremos a todos, mas onde o IDH for menor.

*Cilene Queiroz, escritora, cileneq@hotmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo