Fiscais do Ibama e da Funai flagram extração ilegal de madeira em terras indígenas em MT

Uma operação realizada em conjunto pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), e pela Fundação Nacional do Índio (Funai), flagraram na última sexta-feira (03) a extração ilegal de madeira na Terra Indígena Urubu Branco, no município de Confresa, a 1.60 km de Cuiabá, capital do Estado de Mato Grosso.

De acordo com informações das Assessorias de Imprensa do Ibama e da Funai, a ação contou com o apoio de servidores da prefeitura e de policiais civis e militares. Ao todo, 12 pessoas foram presas em flagrante e foram encaminhadas para a Delegacia de Polícia Civil, onde foram autuadas.

Operação da Funai e do Ibama flagra extração ilegal de madeira em terras indígenas no município de Confresa, em Mato Grosso – Foto: Ibama/Divulgação

Os envolvidos foram autuados administrativa e multados, acusados de crime ambiental. No local havia trabalhadores em situação subumanas, em condições análogas à escravidão.

Esses trabalhadores vieram de Minas Gerais com a promessa de trabalhar legalmente e com carteira assinada, o que não aconteceu. Todos foram libertados.

Informações preliminares revelam que a quadrilha atuava na extração ilegal de madeira em terras indígenas. Foram apreendidos caminhões, tratores, toras e lascas de madeira da espécie roxinho, protegida por Lei Ambiental.

As equipes do Ibama e das Polícias Civil e Militar destruíram vários acampamentos e levaram todos os suspeitos e os trabalhadores escravizados para a Delegacia de Polícia Civil em Confresa.

A madeira estava sendo extraída da Terra Indígena Urubu Branco, no município de Confresa (MT) – Foto: Ibama/Divulgação

Os trabalhadores em condições subumanas prestaram depoimento e foram liberados, enquanto que os suspeitos receberam voz de prisão. Todos foram denunciados pelos crimes de formação de quadrilha, acesso indevido a terra indígena, furto de madeira em área federal e crime ambiental.

Um dos suspeitos, que coordenava a extração ilegal de madeira, fugiu do local ao ver as equipes do Ibama, da Funai e das Polícias Civil e Militar. Ele ainda não foi identificado e/ou localizado.

A Polícia Civil de Mato Grosso deverá repassar para a Polícia Federal as investigações sobre o caso, já que os crimes ocorreram em terras da União.

Com informações das Assessorias de Imprensa do Ibama e da Funai

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo