Festival de dança em Fortaleza une crianças e jovens em vulnerabilidade social no Brasil

As crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social no Brasil terão aulas com dançarinos profissionais do Canadá

  • Entre 29 de abril e 3 de maio acontecerão workshops, trabalhos em equipe e apresentações de dança com equipes do Brasil e Canadá;
  • Expectativa é atender mais de 350 crianças e jovens;
  • O mote da ação é “Dança como estratégia de superar a violência”
  • Entender a realidade dos jovens brasileiros, ouvir histórias e conhecer o dia a dia das comunidades, estão entre as atividades que serão realizadas ao longo do festival de dança;

Foto: Divulgação

Visão Mundial, ONG internacional focada na proteção de jovens e crianças em todo o mundo, promove entre os dias 29 de abril e 3 de maio o Festival de Dança Brasil Canadá, uma semana repleta de workshops, trabalhos em equipe e apresentações com dançarinos dos dois países. O objetivo é promover a troca de ideias sobre a importância da dança e cultura na superação da violência entre os jovens do Brasil e do Canadá. A expectativa é atender mais de 350 e jovens em situação de vulnerabilidade social de Fortaleza. O mote da ação é Dança como estratégia de superar a violência.

primeiro dia de atividades será em Bom Jardim, onde a Visão Mundial tem uma parceria com um Espaço de Geração da Cidadania. Os outros dias de atividades serão em Jangurussucom uma pausa para realizar uma ação em uma escola pública do bairro Curió. Nos outros dias as atividades da ONG contarão com uma parceria da Associação Santo Dias e o Conselho de Integração Social – Integrasol.

No dia 29, haverá a apresentação de um grupo de dança conduzido pelas Juventudes do Canadá. Na terça-feira, dia 30, acontecerá o ensaio do grupo de jovens do Canadá, além da conversa com duas famílias moradoras da comunidade. No mesmo dia, a partir das 14 horas, tem início o Festival de Dança Brasil Canadá com diversos grupo de ballet, capoeira, dança contemporânea e mais. Todos da região. No fim do mesmo dia, haverá o fórum Fórum de Juventudes:Reconectando com Jovens Dançarinos; após as apresentações culturais do festival de dança, haverá uma roda de conversa sobre como a arte e a cultura contribui para a redução da violência.

No dia 1° de maio haverá um workshop com, aproximadamente, 30 crianças sobre danças locais e tradições culturais que envolvem música. Na quinta-feira, 2 de maio, o grupo visitará uma escola que o MJPOP tem trabalhado e no último ano conquistou a reforma com o apoio do grêmio estudantil – Escola José Carvalho. O objetivo dessa atividade é mostrar como os estudantes podem lutar pela garantia de seus direitos, além de haver um intercâmbio de realidades na educação Brasil x Canadá.

Além de apresentações artísticas, os jovens dançarinos serão inseridos na rotina da comunidade local, conhecendo a realidade das famílias que vivem nas áreas com projetos apoiados pela Visão Mundial. Serão duas dançarinas (Czarina e Krystina) e três dançarinos (Nathan, Brandon / Bizzy e Adrian) canadenses; alguns deles fazem parte do Kindred Culture – organização de dança que oferece a população vulnerável uma saída positiva para se expressar, construir um senso de comunidade e apoiar organizações de caridade. Entre os dançarinos brasileiros que participarão do festival, todos são jovens, membros da comunidade, com idade entre 15 e 29 anos.

Entender a realidade dos jovens brasileiros, ouvir histórias e conhecer o dia a dia das comunidades, estão entre as atividades que serão realizadas ao longo do festival de dança. A arte é capaz de unir os mais diversos grupos culturais e étnicos, para que eles possam elaborar formas de superar problemas sociais. Por isso, o grupo canadense também irá conversar com o jovem Carlos Henrique, de 15 anos, participante do MJPOP, dançarino do grupo Teen Dance e apadrinhado da ONG Visão Mundial – esta atividade acontecerá no dia 2 de maio.

“Queremos garantir que as crianças debatam sobre a importância da arte no afastamento da violência. Trazer dançarinos brasileiros e canadenses para esta conversa garante uma troca de experiências mais concreta e capaz de refletir a realidade dos jovens e crianças de regiões em situação de vulnerabilidade social em Fortaleza”, afirma Raissa Rossiter, diretora geral da ONG Visão Mundial no Brasil.

Os dançarinos do Festival

Os dançarinos canadenses que participarão do evento possuem muita experiência no uso da dança como ferramenta de transformação cultural. Alguns deles são:

Nathan Tiangson

Nathan Tiangson é um experiente dançarino de Mississauga, Ontário. Ele é especialista em estilos de hip-hop e coreografia urbana. Ele já se apresentou em diferentes países, como a África do Sul e El Salvador e já venceu várias competições no Canadá. Nathan é o fundador e diretor da Kindred Culture, uma organização que usa a dança para impactar o mundo de uma forma positiva.

Brandon “Bizzy” Owusu

Brandon “Bizzy” Owusu nasceu em Toronto no Canadá. Ele dança profissionalmente há 9 anos em segmentos como Dancehall, Hip Hop e Danças Étnicas. Brandon já dançou para artistas como Ariana Grande, Montana francesa, Rihanna, Drake, Sean Paul, Paula Abdul e muitos mais; além de ter sua coreografia exibida no The Ellen Show. Quando Brandon não está treinando e se apresentando, ele está compartilhando sua paixão pela dança com estudantes em estúdios, convenções, centros comunitários, escolas e no youtube. Sua personalidade divertida e extrovertida, juntamente com sua ética de trabalho duro, permite que ele inspire e traga o que há de melhor nos outros.

Adrian Vendiola

Adrian Vendiola é um coreógrafo de 23 anos de Vancouver, Canadá. Ele é atualmente diretor e coreógrafo da Brotherhood, uma equipe exclusivamente masculina que começou no porão de uma igreja e cresceu para ganhar muitas competições notáveis e aclamadas internacionalmente. Mais recentemente, eles participaram da segunda temporada do World of Dance, da NBC. Adrian viajou internacionalmente para ensinar e compartilhar seu amor pela dança em lugares da Ásia e da Europa.

Cenário brasileiro x canadense

No Nordeste, estão os maiores índices de homicídios de jovens. Em 2008 foram 10.041, ultrapassando os 12.000 em 2012. “No Brasil, mais de 50% das mortes de jovens são causadas por homicídios. O perfil social dos adolescentes, vítimas de homicídios é formado, sobretudo, por negros, pobres e moradores de periferias urbanas. Os dados refletem um fenômeno social sem precedentes.” finaliza Raissa.

Entre os bairros que receberão os eventos estão Bom Jardim, Jangurussu, Santa Maria e Curió. Em 2017, Fortaleza ocupou o ranking das capitais brasileiras com maiores números de homicídios de meninos e meninas entre 10 e 19 anos (Mapa da Violência). O Comitê Cearense Pela Prevenção de Homicídios na Adolescência apontou que quase 50% desses homicídios ocorreram nas regiões Barra do Ceará, Bom Jardim e Jangurussu.

Os jovens em situações de vulnerabilidade social encontram nas expressões culturais formas de superar e violência e fortalecer suas identidades. Muitos grupos mantêm viva a memória de seus locais de origem com o objetivo de buscar por novas maneiras de compartilhar esses conhecimentos. A inserção nestes grupos culturais é muitas vezes o único caminho viável para que os jovens possam se fortalecer contra a violência. A realidade da juventude canadense é muito diferente da brasileira. Um exemplo disso é a taxa de homicídios no Canadá que, de acordo com o Statistcs Canada, é de cerca de 1,47 a cada 100 mil pessoas. Fortaleza, em 2017, ficou em sétimo lugar no ranking global, segundo a ONG Seguridad, Justicia y Paz, com uma taxa de 83,48 homicídios para 100 mil pessoas.

SERVIÇO

Cronograma Festival de Dança Brasil Canadá

Data/Hora Atividade Local Breve descrição da atividade
29 de abril – PDA Bom Jardim #1
De 14:00hs às 15:30hs Aprender sobre programas de Prevenção a Violência e a abordagem holística da VM para o desenvolvimento da comunidade; ouvir testemunhos pessoais de jovens e pessoas da comunidade. Centro Cultural Bom Jardim A equipe do PDA Bom Jardim compartilhará sobre as atividades desenvolvidas nas comunidades, como funciona o programa e o grupo do Canadá irá conversar com jovens beneficiários do projeto.
De 15:30hs as 17:00hs Oficina de Dança Centro Cultural do Grande Bom Jardim #1 O grupo do Canadá facilitará uma oficina de dança para 30 jovens participantes de grupos culturais locais.
De 19:00hs as 20:00hs Visita a barracões das Agremiações do Carnaval de Fortaleza Centro O grupo do Canadá conhecerá o barracão do Maracatu Vozes da África, um tradicional maracatu de Fortaleza, para conhecer um pouco dessa manifestação cultural. http://www.facebook.com/Maracatu-Vozes-Da-%C3%81frica-408979692532014/
30 de abril – PDA Bom Jardim #1
De 10:30 min

12:00hs

Conectando com Família Patrocinada PDA Bom Jardim O grupo do Canadá conhecerá uma família patrocinada para conhecer a realidade das famílias atendidas pelo projeto.
De 12:00 as 13:30hs Almoço PDA Bom Jardim
De 14:30hs as 16:00hs Festival de Dança CCBJ #1 Realização de um festival de danças com apresentações dos grupos locais e do grupo do Canadá.
De 16:00hs às 17:00hs Fórum de Juventudes: Reconectando com Jovens Dançarinos CCBJ #1 Após as apresentações culturais do festival de dança, haverá uma roda de conversa sobre como a arte e a cultura contribui para a redução da violência
De 19:30hs às 21:00hs Workshop de Dança com Cordapes Cia Cordapes. O grupo do Canadá participará de uma oficina de danças brasileiras/cearenses facliitada pela Companhia de Ritmos e Danças Populares – CORDAPES

http://www.facebook.com/cordapes.ong.1

01 de Maio – PDA Vida de Criança #2
De 14:00hs as

15:30hs

Visita ao PDA Vida de Criança #2: Aprender sobre programas de Prevenção a Violência e a abordagem holística da VM para o desenvolvimento da comunidade; ouvir testemunhos pessoais de jovens e pessoas da comunidade. PDA Vida de Criança #2 A equipe do PDA Vida de Criança compartilhará sobre as atividades desenvolvidas nas comunidades, como funciona o programa e o grupo do Canadá conversará com jovens beneficiários do projeto.
De 15:30hs as 17:00hs Workshop de Dança com Estudantes PDA Vida de Criança #2 O grupo do Canadá facilitará uma oficina de dança para 30 jovens participantes de grupos culturais locais.
De 17:15hs as 18:00hs Conectando com Família Patrocinada PDA Vida de Criança #2 O grupo do Canadá conhecerá uma família patrocinada para conhecer a realidade das famílias atendidas pelo projeto.
De 20:00 as 22:00 Apresentação de danças da Cia Txai e Jantar Restaurante Lupus Bier O grupo irá prestigiar a apresentação da Companhia de Danças Txai. O jantar será no mesmo local.

http://www.facebook.com/Txaidancaspopulares/

02 de maio – PDA Vida de Criança #2
De 09:00 as 12:00hs Fórum de Juventudes (Experiências de estudantes secundaristas na implementação de seus direitos) Escola José de Carvalho O grupo visitará uma escola que o MJPOP tem trabalhado e que no último ano conquistou a reforma da escola com o apoio do grêmio. O objetivo dessa atividade é mostrar como os estudantes podem lutar pela garantia de seus direitos, além de haver um intercambio de realidades na educação Brasil x Canadá.
De 12:00 as 13:30hs Almoço Casa José de Alencar
De 14:00hs as 17:00hs Fórum de Juventudes Brasil & Canadá Cuca Jangurussu #2 Realização de oficinas, rodas de conversas relacionadas a dança como enfrentamento da violência.
De 18:00hs as 21:00hs Festival de Dança Brasil x Canadá

·  Dançarinos Canadenses

·  Dançarinos profissionais Locais

Cuca Jangurussu #2 Realização de um festival de danças com apresentações dos grupos locais e do grupo do Canadá.
03 de Maio – Dancer Exchange
14:00hs as 17:00hs ·  Fórum de Juventudes Brasil & Canadá Cuca Jangurussu #2 Continuação das oficinas e rodas de conversas sobre cultura como enfrentamento a violência.
04 de Maio – Dia de Turismo
06:30hs às 18:00hs Visita a Canoa Quebrada Canoa Quebrada Visita a uma famosa praia do Ceará para um dia de turismo e lazer.

Sobre a Visão Mundial

A Visão Mundial Brasil integra a parceria World Vision International, que está presente em cerca de 100 países. No País, a Visão Mundial atua desde 1975 em 10 estados, beneficiando 2,7 milhões de pessoas com projetos nas áreas de educação, saúde/proteção da infância, desenvolvimento econômico e promoção da cidadania. Seus projetos e programas têm como prioridade as crianças e adolescentes que vivem em comunidades empobrecidas e em situação de vulnerabilidade. Nesses 42 anos de atuação no Brasil, a Visão Mundial se consolida como uma organização comprometida com a superação da pobreza e da exclusão social.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo