Com Delinha, mostra Mulheres EmCanto destaca o papel da mulher na música de MS

Exposição exalta a figura feminina no cenário fonográfico sul-mato-grossense desde a década de 1950; “Rainha do Rasqueado” participa de inauguração e se emociona com memórias

Mostra Mulheres EmCanto – Foto: Humberto Marques

Foi aberta na manhã desta terça-feira (16) a mostra Mulheres EmCanto, que exalta o papel das artistas no cenário fotográfico de Mato Grosso do Sul desde a década de 1950. Instalada no Palácio das Comunicações, sede da Fertel (Fundação Luiz Chagas de Rádio e TV Educativa de Mato Grosso do Sul), a exposição exibe capas de disco que têm as musicistas sul-mato-grossenses como protagonistas, e contou, na sua abertura, com a presença de Delinha, a Rainha do Rasqueado, um dos principais nomes da música regional.

A exposição foi providenciada a várias mãos: o projeto é uma criação de Carlos Luz, sendo mantido pelo MIS (Museu da Imagem e do Som) e trazido ao Espaço Cultural Aldo Olarte de Souza (a “Galeria da TVE”) por iniciativa da curadora da Fertel, Ana Rita Dornelles. As peças podem ser visitadas gratuitamente de segunda a sexta-feira, em horário comercial.

“Não tenho palavras para expressar minha emoção. Não sei se mereço, mas agradeço muito a homenagem”, afirmou Delinha, emocionada ao avistar a exposição de capas de vinis com algumas das artistas mais famosas do atual Mato Grosso do Sul, como Helena Meirelles, a dupla Beth e Betinha e Estrela Dalva. “Vemos alguns desses nomes e sentimos uma grande saudade. É muito bom preservar a memória dessas mulheres”, prosseguiu a cantora, famosa pela dupla com Délio e que, há alguns anos, apresenta-se ao lado do filho, João Paulo.

Mostra Mulheres EmCanto – Foto: Humberto Marques

Delinha teve boa parte de sua obra, em vinil, exibida durante a abertura da mostra. Coube a Carlos Luz realizar o resgate do trabalho das artistas e de outros músicos locais. “A ideia é preservar o trabalho dos cantores que gravaram Mato Grosso do Sul”, afirmou o idealizador. “Temos mais de 30 mil músicas, é o maior acervo em um só lugar, com mais de 600 discos de vinil. Tudo resultado de mais de 20 anos de pesquisa”, destacou Luz. “Mas aqui pretendemos dar destaque ao papel da mulher na nossa música. Queremos exaltar o que a mulher simbolizou para nossa produção cultural”.

“Queremos com esse projeto contemplar o projeto Memórias Fonográficas e homenagear as artistas, cantoras, as musicistas de Mato Grosso do Sul”, reforçou Ana Rita, exaltando o fato de que “a Mulheres EmCanto, um recorte do acervo principal, exalta o papel feminino na arte regional, sendo, sem dúvida, um trabalho que merece ser disponibilizado a todos para que conheçam a qualidade e dedicação das nossas artistas”.

Mostra Mulheres EmCanto – Foto: Humberto Marques

Marinete Pinheiro, diretora do MIS, reforçou a parceria com Carlos Luz para exibição do acervo, que foi doado por seu idealizador “e ajudou na preservação de nossa memória fonográfica”. Ela também parabenizou e agradeceu a Fertel pela oportunidade criada com a mostra, que segue em exibição no Palácio das Comunicações até o final de maio.

“Estão todos convidados para presenciar um pouco da história da arte sul-mato-grossense escrita por mulheres talentosas, que muito fizeram pelo nosso cenário cultural”, destacou Bosco Martins, diretor-presidente da Fertel, destacando o ar “vintage” que a exposição carrega. “O trabalho de recuperação trouxe à tona o vinil, que por décadas foi sinônimo de música e, hoje, volta como algo extremamente valorizado”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo