ANVISA aprova o primeiro tratamento para tumor ósseo raro

A nova indicação do medicamento Xgeva® (denosumabe), da Amgen, é a única aprovada para tratar tumor de células gigantes (TCG) do osso, um tipo raro de tumor geralmente benigno irressecável ou em que a intervenção cirúrgica pode resultar em morbidades graves

Foto: Divulgação

São Paulo (SP) – A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) acaba de aprovar o primeiro tratamento para tumor de células gigantes (TCG), um tipo raro de tumor ósseo geralmente benigno, mas agressivo, que degenera o osso e tecidos moles, como cartilagens e músculos, dependendo do grau de desenvolvimento. O tratamento feito com Xgeva® (denosumabe), da biofarmacêutica Amgen, ajuda na diminuição do tumor e reduz necessidade de intervenção cirúrgica ou com radiação, métodos usados atualmente para tratar a doença.

“Essa aprovação é uma quebra de paradigma para o tratamento desses pacientes, que podem ter um tratamento menos agressivo e os ajuda a manter a qualidade de vida”, diz o Dr. Felipe Marinho, oncologista do Multihemo do Grupo Oncoclínicas. “O TCG normalmente atinge pessoas entre 20 e 40 anos e se localiza preferencialmente nos ossos longos1, ou seja, acomete pacientes jovens que muitas vezes têm que passar por sessões de radiação ou, dependendo do tamanho do tumor, por cirurgias em que boa parte do osso atingido é retirada, causando limitação de movimentos, dificuldade de locomoção, imobilização e recuperação lenta”.

A aprovação foi baseada em estudos clínicos que demonstraram os benefícios do tratamento com Xgeva® para estes pacientes. Um dos estudos clínicos, o 20040215, publicado no The Lancet Oncology em 2010, demonstrou que 86% dos pacientes tratados com Xgeva® atingiram o critério de resposta tumoral, que buscava a eliminação de pelo menos 90% das células tumorais, eliminação completa de células gigantes em todos os casos de 5% das células tumorais e a ausência de progressão, em até seis meses de tratamento. O resultado foi validado por meio da análise do tecido afetado e avaliação radiológica que identificou estabilização da doença e eliminação completa ou quase completa de células gigantes2.

Essa é a 4ª indicação de Xgeva® aprovada no país. O medicamento foi aprovado em 2016 para prevenção de complicações ósseas em pacientes com metástase de tumores sólidos, como efeitos causados por radiação, cirurgia, compressão da medula espinhal e fratura patológica. Em 2018, a ANVISA aprovou outras duas indicações para Xgeva®, a primeira para hipercalcemia associada à malignidade refratária a bisfosfonatos intravenosos, uma complicação em pacientes com câncer avançado, causada principalmente pelo mecanismo de renovação óssea, que piora o prognóstico,3 e a segunda para a prevenção de possíveis complicações ósseas, como fraturas e enfraquecimento do osso causada pela evolução da doença, em pacientes com mieloma múltiplo, um tipo agressivo e recorrente de câncer de sangue.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo