Multi-empresário aponta boas práticas que podem evitar furtos dentro das empresas

O empresário Figueiredo Gel fala sobre boas práticas que podem evitar furtos e problemas dentro das corporações, com base em sua própria experiência empresarial

A oportunidade, associada à falta de controles, cria um ambiente fértil para furtos internos nas empresas. Segundo levantamento do Instituto Provar/FIA (Programa de Administração do Varejo da Fundação Instituto de Administração) aponta que os furtos e fraudes realizados por funcionários causam um prejuízo anual de R$ 2,2 bilhões ao varejo brasileiro, ou seja, R$ 70 a cada segundo.

O multi-empresário baiano Figueiredo Gel afirma que as pequenas e médias empresas tem maior dificuldade para controlar a ação de funcionários desonestos, pois costumam ter menor rigidez nas relações profissionais: “O dono de um restaurante ou pequeno varejo tem a tendência de tratar a equipe como uma grande família, e nem cogita desconfiar dos subordinados, o que abre brechas e oportunidades. Levantamentos apontam que negócios com menos de cem funcionários registram perda média quatro vezes maior que as grandes companhias”, avalia Figueiredo Gel.

Empresário Figueiredo Gel – Foto: MF Press Global

Como gestor, Figueiredo Gel avalia que os meios disponíveis para evitar furtos em qualquer negócio não são infalíveis, mas podem reduzir consideravelmente os prejuízos e ocorrências: “é impossível tocar uma empresa sem ter alguém em quem você precisa depositar confiança, delegar cargos de confiança. Mas existem boas práticas que adotei nas minhas empresas e que podem ser tomadas para minimizar e evitar desvios”.

Tomando como exemplo uma de suas empresas de seu conglomerado, uma transportadora, Gel enumera boas práticas que podem ser tomadas para evitar furtos na empresa:

1- Não deixar os motoristas andarem com dinheiro em espécie. 

Sempre deixamos com os motoristas os valores correspondentes aos gastos que terão, mas damos preferência para vouchers, tickets e meios eletrônicos. Quanto menos dinheiro em espécie na mão dos funcionários para resolver coisas da empresa, melhor.

2- Abastecimento somente em postos credenciados, que a empresa tem cadastro e que emitem boletos

Para evitar notas frias, desvios diversos e esquemas, nossa frota somente abastece em postos credenciados, que emitem fatura, nota fiscal e boletos diretamente para nossa empresa, com a discriminação exata dos gastos.

3- Não deixar motoristas acertarem frete.

Nossos motoristas preocupam-se em fazer aquilo para que foram contratados, e não delegamos a eles funções como acerto de frete e combinar negócios adicionais. Isso evita que haja acréscimos e diferença entre o preço informado ao cliente e o cobrado. Motoristas não recebem dinheiro e não fazem acertos, para evitar tais desvios.

4- Serviço sempre em oficinas credenciadas e de preferência na mesma cidade da sede da empresa.

Para termos mais controle, os reparos são feitos somente em rede credenciada pela empresa, e enviam suas faturas diretamente para nós, com exceção de casos como, por exemplo, se o caminhão quebrar em outra cidade, pois aí é mais viável consertar lá do que pedir guincho até a sede da empresa.

5- Usar o Sem Parar, em vez de dinheiro para o pedágio

Mais uma prática que evita que os funcionários andem com dinheiro, pois os valores de pedágios vão ser cobrados diretamente com a empresa.

6 – Rastreador em toda a frota.

O rastreador nos mostra em tempo real aonde o veículo está, e temos o controle total de frota, que até nos permite bloquear o veículo em caso de perda ou roubo. É uma excelente ferramenta de gestão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo