Polícia Ruralista: O uso desproporcional de força contra os Guarani e Kaiowá

Foto: Repórter Brasil/Cortesia

Casas queimadas, portas arrombadas e vítimas atingidas com balas de borrachas revelam ação violenta da polícia nas terras indígenas Guarani e Kaiowá, no Mato Grosso do Sul. Uma das ações policiais, em 26 de agosto, terminou com cinco indígenas atingidos por balas de borrachas, um senhor de 69 anos preso e uma mulher atropelada por uma viatura da PM.

Não foi a primeira vez que o Ministério Público Federal criticou a ação policial na região, que favorece fazendeiros e ocorre em parceria com empresas de segurança.

A tensão entre indígenas e fazendeiros na região tende a piorar com a vitória do presidenciável Jair Bolsonaro. “O discurso dele deixa claro que irá favorecer o lado que está contra os indígenas”, afirma Joênia Wapichana (REDE-RR), a primeira mulher indígena eleita deputada federal no país.

Leia a reportagem completa e assista os vídeos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo