Na Semana Mundial da Amamentação, entenda como a consultoria de amamentação pode ajudar lactantes

Foto: Divulgação

Comemorada entre os dias 1 e 7 de agosto, a semana Mundial da Amamentação reforça a importância do leite materno para o desenvolvimento saudável dos bebês e para a redução da mortalidade de recém-nascidos. O ato de amamentar, no entanto, é diferente para cada mãe e bebê, estar informada sobre esse processo é fundamental para que a mamada seja um momento tranquilo.

A amamentação é considerada uma das formas mais eficazes de garantir a saúde de recém-nascidos, recomenda-se que os bebês sejam alimentados exclusivamente com leite materno até os seis meses, e que este alimento esteja presente até os dois anos. Além de importante, a mamada é muito esperada pelas mamães, como um ato de conexão e intimidade com a seu bebê. Este processo, porém, pode não ser tão fácil para muitas mulheres, para auxiliar neste momento a figura da consultora de amamentação torna-se importante.

Especializada no processo de amamentação, a consultoria é uma assistência à família que orienta diversas situações, como a posição na pega, problemas de fissuras nos mamilos, baixa produção de leite, mamas empedradas, entre outras.

A consultora de amamentação, Paula Serafin, doutora em leite humano e alimentação de recém-nascido prematuro explica o papel deste profissional, “além das técnicas, o consultor de amamentação precisa ter a capacidade de entender as especificidades de cada bebê e de cada lactante para que se tenha harmonia entre o psicológico da mãe e a saúde da criança. O ato de amamentar não pode ser um trauma, para nenhum dos envolvidos”.

Aproveitando o mês da amamentação, Paula comenta sobre os problemas mais frequentes de amamentação e dá dicas para ajudar nestas situações. Acompanhe:

Fissuras no bico do peito

“A pega correta do bebê no seio é um grande aliado para manter a saúde do mamilo. O correto é que o recém-nascido abocanhe a auréola, para que não faça pressão no bico do peito com a gengiva, evitando lesões e garantindo que o bebê se alimente corretamente”.

Mamas Empedradas

“É importante esvaziar as mamas e não deixar de amamentar. Uma dica é retirar um pouco do leite antes da mamada para amolecer a mama, isso ajuda o bebê pegar o peito da maneira correta”.

Pouco Leite

“A sucção é o melhor estímulo. Mesmo que a mãe tenha pouco leite, é importante ela incentivar a amamentação, quanto mais o bebê suga, maior a tendência da mãe produzir leite”.

Paula Serafin é formada em Enfermagem pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, especializada em neonatologia na Universidade Estadual do Rio de Janeiro e doutora em leite humano e alimentação do recém-nascido prematuro (UFMS). Mais de 15 anos de experiência em UTI Neonatal, atualmente é chefe da unidade de pesquisa e tecnologia em saúde do HUMAP UFMS e desenvolvedora do Suplemento Alimentar Derivado de Leite Humano que concedeu à UFMS a patente sobre o produto que substitui o suplemento extraído do leite bovino.  Há dez anos, Paula fundou a NanaNenê, clínica especializada em saúde materno-infantil.

Fonte: Think Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo