PMA autua empresa por dano ambiental na BR-262, próximo a Anastácio (MS)

A empresa também foi multada em R$ 20 mil e notificada e remover o produto da rodovia.

Foto: PMA/MS – Divulgação

A Polícia Militar Ambiental (PMA) em Mato Grosso do Sul divulgou na manhã deste domingo (22/04), a informação de que policiais da corporação autuaram e multaram uma empresa com sede em Campo Grande, capital do Estado, por danos ambientais às margens da Rodovia BR-262, próximo ao município de Anastácio, a 128 km de distância da capital.

De acordo com informações da Assessoria de Comunicação da PMA/MS, o acidente que causou danos ambientais aconteceu neste sábado (21/04), no km 499 da rodovia, e envolveu um caminhão-tanque carregado com óleo diesel.

Segundo os dados que constam no Boletim de Ocorrência (BO), os quais foram repassados à imprensa, o motorista da carreta seguia pela rodovia quando aparentemente perdeu o controle da direção, fazendo o veículo tombar.

O acidente danificou a tampa do caminhão-tanque, provocando o vazamento de óleo diesel, que se espalhou pelo asfalto e pela vegetação nativa as margens da rodovia.

Equipes da Polícia Rodoviária Federal (PRF), da Polícia Militar Ambiental (PMA) e do Corpo de Bombeiros foram acionadas e rapidamente chegaram ao local. Por precaução, um trecho da rodovia foi interditado.

Informações preliminares revelam que parte do óleo diesel atingiu uma área de brejo, poluindo o ecossistema.

A empresa proprietária do óleo diesel foi autuada administrativamente e multada em R$ 20 mil, O nome da empresa e dos proprietários não foram divulgados.

Os policiais ambientais emitiram o Auto de Infração (AI) e aplicaram a multa correspondente ao dano ambiental provocado ao meio ambiente. Além disso, eles notificaram a empresa a realizar imediatamente a remoção do óleo diesel e a recuperação da área degradada.

Os donos da empresa poderão responder a processo por crime ambiental culposo, ou seja, quando não há intenção de poluir. Caso sejam condenados, poderão pegar penas que variam de 6 meses a 1 ano de prisão.

Com informações da Assessoria de Comunicação da PMA/MS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo