Antônio Porto apresenta seu novo trabalho no Centro de Arte Viva em Campo Grande

O multi-instrumentista Antônio Porto apresenta seu novo trabalho “Feito ave, feito vento” no Centro de Arte Viva

Antônio Porto, multi-instrumentista – Foto: Divulgação

Campo Grande (MS) – O multi-instrumentista Antônio Porto retorna de São Paulo à Capital para mais uma nova temporada com o intuito as diversas faces do seu jeito de fazer música. Na próxima sexta-feira (6 de abril), ele apresenta ao público campo-grandense o seu mais novo trabalho intitulado “Feito ave, feito vento” no espaço cultural da escola de música Centro de Arte Viva, que fica na rua Cândido Mariano, nº 2112, no centro.

Uma de suas canções, a Cordel Chinês, feita em parceria com o compositor Alexandre Lemos, o consagrou em primeiro colocado no Festival de Avaré (FAMPOP), em 2016. “Me apresentei há dois anos atrás no Centro de Arte Viva, para uma plateia repleta de pessoas que sempre apoiaram meu trabalho, numa performance que mesclava músicas minhas já gravadas e algumas releituras de compositores da Música Brasileira. Dessa vez farei um show no qual irei apresentar as canções de uma experiência que há muito tempo eu vislumbrava e que muitos amigos, músicos principalmente, com frequência me incentivavam. É um CD de canções arranjadas e executadas apenas com voz e violão, usando pouquíssimos recursos tecnológicos só para dar um colorido diferente e inserido mais nesse conceito “apelidado” de Unplugged. Vou apresentá-las nesse formato para o público – muitas ainda preservo de forma praticamente inédita –  e é claro que escolhi minha cidade para fazer isso já que aqui eu considero uma espécie de   “termômetro” para a minha música, explicou o músico.

Trajetória musical

Antônio Porto (também conhecido por muitos como Toninho Porto), é um músico campo-grandense que hoje é radicado em São Paulo. Começou muito cedo a ter contato com a música, principalmente o violão, por influência do pai e do irmão mais velho. Com 15 anos de idade, já atuava como músico amador na cena musical de Campo Grande. Nesse período, desenvolveu habilidades em outros instrumentos (guitarra, baixo, bateria, teclados, bandolin…) e isso facilitou seu caminho para o prematuro profissionalismo e assim tocar com praticamente quase todos os artistas da cidade e do Estado.

Em meados dos anos 80, mudou-se para São Paulo onde compôs a banda do cantor e compositor Renato Teixeira e também a banda nordestina “Perigo Na Área”, que circulava na época tocando em praticamente todas as casas mais conhecidas da noite paulistana.

Em 1988, mudou-se pra Europa onde ficou até 1998. Nesse tempo excursionou pelo mundo inteiro com as mais variadas formações de bandas musicais. De música Africana à Música do Oriente Médio, passando pelo jazz, MPB e pela Salsa Latino-Americana, tocou nos mais importantes Festivais de Jazz da Europa e do mundo. Estudou improvisação e harmonização com músicos Europeus, Israelenses e Brasileiros, radicados na Europa, incluindo o guitarrista brasileiro Alegre Correa, ganhador do Grammy de melhor guitarrista do mundo no ano de 2004 e a Super Star Israelense Timna Brauer.

De volta ao Brasil no final dos anos 90, integrou a banda da saudosa dupla Pena Branca e Xavantinho, gravando o último CD que se tem registro da dupla, que teve a participação de Milton Nascimento. Em 2001, regressou novamente à Europa para integrar a banda do super-star austríaco Hubert Von Goisern, com quem gravou dois DVDs, e um CD intitulado IWASIG. Lá permaneceu até 2004.

De 2004 a 2008, de volta novamente ao Brasil, circulou entre as cidades de Campo Grande, São Paulo e Rio de Janeiro, tocando com artistas como Tetê Espíndola, Paulo Simões, Guilherme Rondon, entre outros, além de fazer a produção musical e arranjos para CDs, trilha sonora para filmes e propagandas de televisão.

De 2008 a 2013, trabalhou tocando baixo acústico para o artista sul-mato-grossense Almir Sater. Desde 2013, tem trabalhado com Bianca Gismonti. Exímia pianista e compositora, filha do mestre Egberto Gismonti. Com Bianca, já excursionou pela Europa, Japão, América do Sul e muitos estados brasileiros. O trabalho de Bianca Gismonti Trio, (Com Júlio Falavigna na Bateria e Antônio Porto no baixo) já está no segundo CD. Antônio tem seu próprio estúdio atualmente em São Paulo e trabalha também como produtor musical.

Quem quiser reservar a entrada é só ligar no telefone (67) 3324-2433. O investimento é de R$ 20,00.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo