Temporal atinge o Rio de Janeiro e vários bairros ficam alagados

Foto: TV Globo/Reprodução

O forte temporal que atingiu o Rio de Janeiro na madrugada desta quinta-feira (15/02) fez com que as autoridades decidissem por decretar estado de atenção em toda o município. A cidade ficou mais de 5 horas em estágio de crise.

A tempestade causou a morte de duas pessoas em Quintino, na Zona Norte da cidade, em decorrência de um deslizamento de terra. O sistema de transporte público, como trens, BRT e metrô foram afetados e importantes vias públicas foram e continuam alagadas.

A chuva intensa veio acompanhadas de fortes rajadas de vento e de raios e trovoadas, e várias ruas e avenidas tiveram que ser interditadas devido as inundações. Um trecho da ciclovia Tim Maia desabou, mas não causou vítimas.

Neste momento, segundo informações das autoridades municipais, a cidade do Rio de Janeiro voltou ao estado de atenção e várias ruas e avenidas permanecem interditadas. A prefeitura está pedindo a população que evite sair de casa na manhã de hoje, principalmente de carro.

As duas vítimas fatais já foram identificadas, trata-se de Marcos Garcia, de 59 anos, e Judina Magalhães, de 62 anos. Ambos estavam em uma casa que foi soterrada pelo deslizamento de terra.

No conjunto de Favelas do Alemão, cerca de 50 famílias tiveram que deixar suas casas, sendo levadas para abrigos públicos. Um rio que ‘corta’ a Favelinha do Skoll transbordou, alagando e destruindo várias casas.

Alguns moradores que precisam sair de casa para chegar ao trabalho estão enfrentando problemas nos transportes públicos. Algumas linhas de ônibus deixaram de circular.

Os dois aeroportos do Rio, o Santos Dumont e o Tom Jobim, operam normalmente, apesar de alguns voos estarem sofrendo atrasos. Até o momento nenhum voo foi cancelado.

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) informou que não há previsão de temporal para o Rio de Janeiro nesta quinta-feira (15/02), mas alertou para a possibilidade de chuvas moderadas no decorrer do dia.

O Alerta Rio informou que na Barra da Tijuca choveu cerca de 119% do esperado para todo o mês de fevereiro.

Há registro de quedas de árvores, desmoronamento de muros e de paredes de casas, além de vários acidentes de trânsito.

Com informações da Agências Brasil e Estado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo