Neurocirurgia contra a doença de Parkinson é realizada no Novo Hospital Unimed CG

Cirurgia agrega credibilidade e torna o Hospital Unimed referência contra o Parkinson

Da esquerda para a direita estão os médicos: Dr. Renato Ferraz (neurologista); Dr. Halisson Yoshinari (neurocirurgião) e Dr. Luis Kanashiro (neurocirurgião) – Foto: Leandro Ferreira/Assessoria

Foi realizada na última semana e pela primeira vez no Hospital Unimed Campo Grande, uma neurocirurgia destinada ao tratamento da doença de Parkinson. O procedimento, conhecido como Deep Brain Estimulation (Estimulação Cerebral Profunda) – é uma cirurgia pouco invasiva, realizada por estereotaxia cerebral e tomografia da imagem.

A cirurgia de Estimulação Cerebral Profunda consiste na implantação de uma espécie de marca-passo no cérebro. Similar ao aparelho usado em cirurgias cardíacas, a técnica oferece alívio imediato ao paciente a partir de uma estimulação elétrica de alta frequência no cérebro.

De acordo com o neurologista Dr. Luis Kanashiro, responsável pela cirurgia, essa tecnologia possibilita o paciente a ter uma qualidade de vida muito maior. “Ele volta a ter condições de ter uma vida normal, com qualidade, sofrendo impactos menores relacionados à doença”, explica.

O outro profissional que participou da realização dessa neurocirurgia, o Dr. Halisson Yoshinari, ressaltou que tudo foi feito com alta precisão, contando ainda com a ajuda de um programa de computador. “É sem dúvida alguma um processo cirúrgico de alta precisão, que gera segurança ao corpo médico e principalmente aos pacientes”, diz.

Para o Dr. Renato Ferraz, também neurologista e cooperado da Unimed CG, a realização dessa cirurgia traz ainda mais credibilidade ao Hospital Unimed Campo Grande, tornando-o referência nesse tipo de tratamento em todo o Estado.

“Por se tratar de um tratamento revolucionário na atualidade, o novo Hospital Unimed CG se torna uma referência em neurocirurgia no Estado, principalmente por possuir a melhor tecnologia para a realização desse tipo procedimento”, finaliza o Dr. Renato Ferraz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo