Mauricio Saito destaca sustentabilidade pecuária e importância da comunicação em simpósio

Maurício Saito, presidente do Sistema Famasul – Foto: Divulgação

“Melhorar processos e profissionalizar a comunicação do produtor rural. Este é o desafio do nosso setor”. A afirmação foi feita pelo presidente do Sistema Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS, Mauricio Saito, durante o Simpósio DSM de Confinamento realizado nesta terça-feira (02), na sede da Casa Rural, com a participação de mais de 120 pessoas.

O presidente da Federação ministrou a palestra ‘Gestão Territorial Agropecuária’, onde apresentou o trabalho desenvolvido pela instituição em relação ao SIGA/MS – Sistema de Informações Geográficas do Agronegócio, ferramenta da Aprosoja/MS, com apoio Famasul e o desenvolvido do setor. “A evolução de Mato Grosso do Sul, em 40 anos, passou pelos seguintes pilares: o lado empreendedor do produtor rural, o trabalho desenvolvido pela comunidade científica e a sustentabilidade”.

O evento é um encontro técnico, promovido pela DSM, no qual autoridades apresentaram novas tecnologias em nutrição animal, manejo e demais práticas. O objetivo é auxiliar o produtor rural na melhora da produtividade e eficiência do rebanho.

Em seguida, médico veterinário e assistente técnico comercial da DSM/MS, Leandro Dossi, ministrou a palestra ‘Nutrição para máximo desempenho zootécnico e econômico’. “O cenário atual aponta para uma grande oferta de milho, com valores atrativos para utilização na dieta de bovinos de corte”.

Por último, o engenheiro agrônomo, Sérgio de Zen, professor doutor da Esalq, integra equipe de pecuária de corte do Cepea, proferiu a palestra ‘Perspectiva do Mercado Pecuário’, destacando: “As pessoas tendem a pensar na pecuária como algo retrógrado, sem levar em conta que a atividade precisa ser pensada a longo prazo. A rentabilidade acumulada é muito maior que agrícola. O valor de mercado é no mínimo 10 vezes superior à soja, por exemplo. Existe uma deformação de comércio que causa o que podemos chamar de ‘desinvestimento’”.

Segundo o especialista, a pecuária é um investimento e por isso é preciso ter visão da economia global, conhecer o mercado de boi gordo, de animais para reposição, insumos e rentabilidade.

O evento contou também com o debate entre os palestrantes, medida pelo gerente de Categoria Confinamento da DSM, Marcos Baruselli.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo