Do campo à cidade, novo modo de agricultura fomenta produção em MS

Foto: Divulgação

Foi-se o tempo em que plantar, regar e colher era só no meio rural. Com o passar do tempo, a relação da cidade com o campo se estreitou graças às novas técnicas de cultivo. Tanto nas metrópoles, quanto nas pequenas cidades, moradores cultivam seus próprios alimentos onde for possível – esta é a chamada agricultura urbana que vem expandindo o autoconsumo de alimentos frescos e perecíveis.

“Esse conceito não é novo, mas vem se fortalecendo.  Hoje, por exemplo, tem um nicho de pessoas que buscam produzir seu próprio alimento, preocupadas com o que estão comendo. Além da qualidade de vida, elas proporcionam economia doméstica, sem deixar de resgatar os valores do campo”, explica Lucas Teixeira, instrutor dos cursos de Agricultura Urbana do Senar/MS – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural.

Em 2017, o Senar/MS lança 50 novos cursos de Formação Profissional Rural e Promoção Social, seis deles voltados para a Agricultura Urbana: Construção de Orquidário; Cultivo de Hortaliças em Ambiente Protegido; Hidroponia; Plantas e Vasos; e Floricultura, Jardinagem e Paisagismo. O lançamento dessa nova grade de capacitações acontece durante a 79ª Expogrande.

Os novos cursos do Senar/MS ressaltam a importância para que a cidade e o campo caminhem juntos. “A agricultura urbana vem mudando as relações das pessoas com os alimentos, o espaço em que vive e, mais ainda, com a saúde. Hoje em dia esse conceito de sustentabilidade é quase um imperativo: menos desperdício e mais qualidade de vida”, destaca a diretora-secretária do Sistema Famasul e coordenadora do Senar/MS, Terezinha de Souza Candido Silva.

Segundo Teixeira, os cultivos dessas plantas estão relacionados, ou seja, fazendo uma capacitação é possível alinhar com todas as outras. Quem entende bem sobre plantio de hortaliça e frutífera, por exemplo, vai saber trabalhar com as plantas ornamentais. “Floricultura e jardinagem é um curso novo criado a partir do ‘Programa Agrinho’, que é pra trabalhar diretamente com as escolas participantes do programa, bem como o Hidroponia, que é uma alternativa mais prática e limpa, já que é possível trabalhar em bancadas, possibilitando melhor ergonomia, o que atinge um público de maior idade e isso facilita a vida do produtor lá no campo.”

O Agrinho é o programa de maior responsabilidade social desenvolvido pelo Senar/MS que tem como finalidade fortalecer a consciência de cidadania por meio de desenvolvimento de temas transversais nas escolas públicas do Estado, como ética e a sustentabilidade. O Senar/MS vem fomentando a Agricultura Urbana por meio desta iniciativa implantando hortas em escolas do interior que participam desse projeto. Esses produtos orgânicos atendem as instituições de ensino e mais ainda a comunidade em torno. Ao todo são 54 municípios contemplados pelo Agrinho com mais de 180 mil alunos participantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo