Vôlei Nestlé é superado pelo Camponesa/Minas e permanece em terceiro

A equipe de Osasco não resistiu ao bom rendimento do rival mineiro e sofreu um revés por 3 sets a 0. Luizomar e suas comandadas enfrentam o Dentil/Praia Clube na próxima rodada.

Tandara encara o triplo (João Neto/Fotojump)

Belo Horizonte (MG) – O Vôlei Nestlé não resistiu ao bom rendimento do Camponesa/Minas e foi superado nesta sexta-feira (17), por 3 sets a 0, parciais de 25/20, 25/19 e, 25/22, em duelo realizado em Belo Horizonte, na Arena Minas. Com 18 jogos disputados, mesmo número de Rexona-Sesc e Dentil/Praia Clube, o time de Osasco continua na terceira posição, com 42 pontos, sendo 14 vitórias e quatro derrotas, ficando abaixo do rival de Uberlândia, segundo, com 43, e do Rio de Janeiro, líder, com 50. No entanto, Dani Lins e suas companheiras terão a chance de subir de posição em confronto direto com o Dentil/Praia Clube na próxima quinta-feira (23), às 19h30, no ginásio José Liberatti.

Vôlei Nestlé e Camponesa/Minas se enfrentaram três vezes na temporada 2016/17 e o time de Osasco venceu, em casa, no primeiro turno da Superliga, por 3 sets a 0, enquanto a equipe mineira levou vantagem na semifinal da Copa do Brasil 2017, por 3 a 2, e no segundo turno, por 3 a 0. De 2009 para cá os clubes se encontraram em 20 ocasiões e a vantagem é de Camila Brait e suas comandadas, com 12 vitórias e oito derrotas. Na história da Superliga, os clubes jogaram 67 vezes e Osasco soma 43 resultados positivos contra 24 do adversário.

O jogo – Instável, o Vôlei Nestlé foi dominado pelo Camponesa/Minas na primeira série. As mandantes abriram 6/2, 11/6. Depois de alguns pedidos de tempo, a equipe de Osasco chegou a diminuir a desvantagem para 18/22. Mas não foi suficiente. O Minas definiu 25/20.

Bia e Tandara enfrentam Hooker (João Neto/Fotojump)

O segundo set começou sem mudanças. O Minas continuou na frente, errando pouco e não deu chance ao adversário. Foi ampliando a vantagem, enquanto o Vôlei Nestlé tentava alterar o rumo da série, sem sucesso: 25/19 para as donas da casa.

O Minas continuou no comando, tanto que logo abriu 19/11 e dava a impressão que fecharia rapidamente. Uma boa sequência de Bia, com bloqueios e aproveitando os contra-ataques reduziu a diferença para 20/16. Dani Lins foi para o saque e conseguiu desestabilizar a recepção adversária e encostou, 23/22. Porém, mais seguro, o Minas marcou mais duas vezes e deu números finais ao set, 25/22 e ao jogo, em 3 a 0.

Pelo Vôlei Nestlé jogaram: Dani Lins, Bjelica, Tandara, Malesevic, Bia, Nati Martins e a líbero Camila Brait. Entraram: Carol Albuquerque, Paula, Gabi e Saraelen. Técnico: Luizomar de Moura.

Pelo Camponesa/Minas jogaram: Naiane, Hooker, Jaqueline, Rosamaria, Mara, Carol Gattaz e a líbero Léia. Entraram: Karol e Fran. Técnico: Paulo Coco.

Bia tenta bloqueiar Hooker (João Neto/Fotojump)

Nestlé busca sexto título – A Nestlé tem uma história vitoriosa no vôlei brasileiro e, até o momento, possui cinco títulos da Superliga. Na década de 1990, o Leite Moça ganhou a competição nas edições de 1994/95, 1995/96 e 1996/97. O time daquele período contava com craques como Fernanda Venturini, Ana Moser, Virna e Leila. A empresa retornou ao esporte em 2009, quando assumiu a equipe de Osasco. Na segunda versão do patrocínio, o Sollys/Nestlé foi campeão em 2009/10 e 2011/12. Os dois troféus foram conquistados sob o comando de Luizomar e o time contava com Carol Albuquerque na primeira e com Camila Brait na segunda.

Osasco também almeja o hexa – Pentacampeão nacional, o clube de Osasco também está na briga por sua sexta taça da Superliga. Com o antigo patrocinador, a agremiação subiu no topo do pódio em 2002/03, 2003/04 e 2004/05. Já com a Nestlé de parceiro, o time foi campeão em 2009/10 e 2011/12.

Nutrindo os Sonhos dos Jovens – De olho no futuro e na nova geração do vôlei brasileiro, o Vôlei Nestlé reforçou o DNA de seu projeto ao firmar parceria com o Programa Global “Nutrindo os Sonhos dos Jovens”, lançado pela Nestlé na Europa em 2013 e que chegou ao Brasil no final de 2015. O time para a temporada 2016/17 apresenta uma mescla de atletas experientes com jovens que buscam espaço em um clube tradicional como Osasco. Jogadoras vitoriosas e consagradas como Carol Albuquerque, Dani Lins, Tandara e Camila Brait serão as mentoras das novatas. O programa está voltado para a capacitação de jovens para qualificá-los profissionalmente.

Bloqueio triplo (João Neto/Fotojump)

Tabela da Superliga

2º turno:

07/01 – São Cristóvão Saúde/São Caetano 0 x 3 Vôlei Nestlé – Manaus

13/01 – Pinheiros 3 x 2 Vôlei Nestlé – São Paulo

21/01 – Vôlei Nestlé 3 x 0 Sesi-SP – Osasco

03/02 – Rio do Sul 0 x 3 Vôlei Nestlé – Rio do Sul

10/02 – Vôlei Nestlé 3 x 1 Terracap/BRB/Brasília Vôlei – Osasco

14/02 – Vôlei Nestlé 3 x 2 Fluminense – Osasco

17/02 – Camponesa/Minas 3 x 0 Vôlei Nestlé – Belo Horizonte

23/02 – 19h30 – Vôlei Nestlé x Dentil/Praia Clube – Osasco

03/03 – 21h30 – Rexona-Sesc x Vôlei Nestlé – Rio de Janeiro (SporTV)

07/03 – 19h30 – Renata Valinhos/Country x Vôlei Nestlé – Valinhos

11/03 – à definir – Genter Vôlei Bauru x Vôlei Nestlé – Bauru

1º turno:

29/10 – Vôlei Nestlé 3 x 1 São Cristóvão Saúde/São Caetano – Osasco

01/11 – Vôlei Nestlé 3 x 0 Rio do Sul – Osasco

04/11 – Vôlei Nestlé 3 x 1 Pinheiros – Osasco

12/11 – Sesi-SP 0 x 3 Vôlei Nestlé – São Paulo

22/11 – Terracap/BRB/Brasília Vôlei 3 x 0 Vôlei Nestlé – Brasília

26/11 – Fluminense 0 x 3 Vôlei Nestlé – Rio de Janeiro

03/12 – Vôlei Nestlé 3 x 0 Camponesa/Minas – Osasco

09/12 – Dentil/Praia Clube 3 x 2 Vôlei Nestlé – Uberlândia

13/12 – Vôlei Nestlé 3 x 2 Rexona-Sesc – Osasco

16/12 – Vôlei Nestlé 3 x 0 Renata Valinhos/Country – Osasco

22/12 – Vôlei Nestlé 3 x 0 Genter Vôlei Bauru – Osasco

Canais:

Facebook: www.facebook.com/voleinestle

Twitter: www.twitter.com/familianestle

YouTube: www.youtube.com/nestlebrasil 

Instagram: @voleinestle / www.instagram.com/voleinestle

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo