Waldir Maranhão anula processo de impeachment na Câmara dos Deputados

Waldir Maranhão, presidente interino da Câmara Federal – Foto: Divulgação

Waldir Maranhão, presidente interino da Câmara Federal – Foto: Divulgação

O presidente em exercício da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP/MA), decidiu na manhã desta segunda-feira (09/05) anular a votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff, realizada e votada pelos deputados no dia 17 de abril deste ano. Ele acolheu um pedido feito pelo advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo.

Waldir Maranhão assumiu a presidência da Câmara dos Deputados após o afastamento de Eduardo Cunha (PMDB/RJ), determinado por unanimidade pelos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

A decisão do deputado Waldir Maranhão agrava ainda mais a crise política e institucional brasileira, e também agrava a crise econômica do país, já que houve queda de preço de ações na Bolsa de Valores e alta do dólar.

A Assessoria de Imprensa da Câmara dos Deputados informou que o deputado Waldir Maranhão irá fazer na tarde de hoje, por volta das 16 horas (horário de Brasília), um pronunciamento para explicar sua decisão.

O deputado Waldir Maranhão assumiu a presidência da Câmara dos Deputados por ser vice-presidente da Casa e, após o afastamento de Eduardo Cunha, teve a incumbência de fazê-lo, mesmo estando envolvido no escândalo da Operação Lava-Jato. Muitos deputados exigiram que ele realizasse uma nova eleição, já que ele está sendo investigado pela Justiça.

Durante a votação do processo de impeachment na Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão votou contra o afastamento da presidente Dilma Rousseff, por acreditar que ela não cometeu crime de responsabilidade. Ele descumpriu a determinação de seu partido (PP/MA), que havia fechado questão a favor do afastamento da presidente da República.

Ne despacho de hoje, Waldir Maranhão decidiu marcar uma nova votação do Processo de Impeachment para acontecer daqui a 5 sessões no Plenário da Casa de Leis. Todos os deputados federais deverão voltar a analisar o pedido de afastamento de Dilma Rousseff, mas o prazo somente começará a contar quando o Senado devolver o processo a Câmara.

Informação preliminares revelam que o nobre deputado Waldir Maranhão não divulgou a agende dele para este fim de semana, e que ele esteve reunido com integrantes do Governo Federal, incluindo o Advogado-Geral da União, José Eduardo Cardozo, além de deputados do PT (Partido dos Trabalhadores) e do PC do B (Partido Comunista do Brasil).

Em nota, o presidente da Câmara Federal, Waldir Maranhão, disse que a petição da Advocacia Geral da União (AGU), encaminhada a presidência da Casa, ainda não havia sido analisada por seus membros, mas que ao tomar conhecimento dela resolveu analisá-la acolhê-la por achar os argumentos apresentados pelo ministro José Eduardo Cardozo sérios e pleno de direitos.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Com informações das Agências Brasil e Estado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo