Artistas de MS participantes do Programa Agrinho são homenageados nesta quarta-feira

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Mais de sessenta mil alunos do ensino fundamental já passaram pelo Programa Agrinho, graças a esses artistas e profissionais da educação de Mato Grosso do Sul que fizeram um trabalho regionalizado. A afirmação foi feita pelo presidente do Sistema Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS, Mauricio Saito, referindo-se aos mais de 40 artistas e professores que cederam suas obras e trabalhos ao Agrinho durante uma homenagem realizada nesta quarta-feira (14), na sede da instituição.

O programa Agrinho MS realizado pela Famasul e Senar/MS foi lançado em junho de 2014 e atendeu no primeiro ano oito municípios em 88 escolas da rede pública de ensino (estadual e municipal), com mais de 31 mil alunos e 1.600 professores. Este ano a adesão aumentou para 20 municípios, 177 escolas e estimativa de alcançar 64 mil estudantes do ensino fundamental (1º ao 9º ano).

Em um jantar comemorativo, os homenageados receberam a coleção do Programa Agrinho. Os artistas contribuíram gratuitamente com a cedência do uso de imagem das suas obras, já os profissionais de ensino auxiliaram nas pesquisas e textos utilizados na composição regionalizada dos livros. A parceria com as secretarias estadual e municipal de Educação (Semed e SED), Semade, Sepaf, Segov, Fcms, Marco, MuArq, Instituto Cultural Gilberto Luis Alves e Jornal Correio do Estado foram essenciais para realização do Agrinho.

Segundo o presidente da Famasul, a colaboração dos homenageados é uma honra para a instituição, diferenciando a obra do projeto que é considerado um dos de projetos de maior peso social do Senar/MS. “O Agrinho já capacitou mais de 3.150 professores em Mato Grosso do Sul, com a missão de compartilhar conhecimentos para a evolução de toda a sociedade” Participaram também da homenagem a diretora secretária da Famasul, Terezinha Cândido, e o diretor executivo da instituição, Lucas Galvan.

Para o artista plástico de Aquidauana, Isac Saraiva, pintor desde a década de 80, participar do Agrinho é um marco em sua profissão. “Uma das minhas pinturas que estão na obra é a Procissão de Sexta-Feira Santa de Aquidauana. Eu fico feliz e grato por ter o meu trabalho divulgado nas escolas, mostrando algo que representa a minha infância”. Do mesmo modo, a artista plástica, Marta Nogueira, destaca que o Agrinho é um marco em sua trajetória artística. “A arte é o que eu quero para mim e fazer parte deste Programa é o reconhecimento do meu trabalho. Eu me sento orgulhosa”.

O professor de biologia da UFMS – Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Paulo Robson, auxiliou na escolha dos materiais ilustrativos para que ficassem condizentes com a fauna e flora de Mato Grosso do Sul. “Meu objetivo era evitar que fossem utilizados elementos que não existem no Estado. Um exemplo é o que o personagem dos livros é o tuiuiú, ave símbolo do Pantanal, que apresenta as personalidades da nossa história, dentro da poesia, política e literatura”.

De acordo com a coordenadora regional do Agrinho, Sandra Serrano, o programa investe na educação e desenvolve temas transversais integrantes no conteúdo do ensino fundamental. “Queremos ampliar o atendimento em 50% no próximo ano e gradativamente até atingirmos a totalidades das escolas do nosso Estado”.

Com objetivo de desenvolver temas transversais propostos no PCN – Parâmetros Curriculares Nacionais estabelecidos pelo MEC o Agrinho aborda os seguintes temas: Ética, Diversidade Cultural, Meio Ambiente, Trabalho e Consumo, Saúde, Orientação Sexual e Temas Locais. O material didático oferecido foi regionalizado e contou com a colaboração de profissionais que disponibilizaram informações e imagens regionais, fundamentadas em nosso território cultural, ambiental, econômico e geográfico.

A meta da coordenação é levar o programa para os 79 municípios do Estado. Desde que foi iniciado 20 já aderiram, são eles: Água Clara, Anastácio, Bandeirantes, Camapuã, Coxim, Dois Irmãos do Buriti, Guia Lopes da Laguna, Figueirão, Jaraguari, Jardim, Maracaju, Nioaque, Nova Alvorada do Sul, Ribas do Rio Pardo, Rio Brilhante, Rio Verde de Mato Grosso, Rochedo, São Gabriel do Oeste, Sidrolândia e Terenos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo