Tiroteio em universidade deixa 3 mortos e 5 feridos nas Filipinas

Policiais são vistos na cena do crime na Universidade de Manila, nas Filipinas – Foto: Staff/Reuters

Um jovem armado invadiu neste domingo (24) uma universidade na cidade de Manila, capital das Filipinas, e atirou contra as pessoas que estavam no estabelecimento de ensino participando de uma festa de formatura. Ao menos três pessoas foram mortas e outras cinco ficaram feridas.

De acordo com informações das principais agências internacionais de notícias, as motivações para o ataque ainda são oficialmente desconhecidas, mas já estão sendo investigadas.

Testemunhas disseram que o suspeito entrou na Universidade Ateneo, localizada na Província de Quezon, segurando duas pistolas, uma em cada mão, e se dirigiu para o auditório aonde estava sendo realizada uma cerimônia de formatura, que contou com a presença do presidente do Supremo Tribunal das Filipinas, Alexander Gesmundo.

Durante o tiroteio, segurança retiraram do local o presidente do Supremo Tribunal, e o levaram a um local seguro. Já Rose Furigay, ex-prefeita da província de Basilan, no Sul do país, cuja filha estava entre os graduados, morreu juntamente com seu segurança e assessor.

A prefeita de Quezon, Joy Belmonte, informou que provavelmente o alvo do criminoso era a ex-prefeita Rose Furigay. Ele fugiu do local em um carro, que foi roubado de um homem que foi retirado à força do veículo.

Após, ele abandonou o veículo e entrou em um ‘Yipni’, um meio de transporte público popular e tradicional nas Filipinas. Em seguida, ele entrou em uma Igreja, mas foi cercado e detido. Com ele foram apreendidas duas pistolas.

A filha de Rose Furigay ficou gravemente ferida, tendo sido socorrida e encaminhada para um hospital de Manila. O estado de saúde dele é considerado estável.

As forças de segurança foram mobilizadas e enviadas para a universidade, que foi fechada. O evento de formatura foi cancelado.

Com o suspeito, identificado como sendo Chao Tiao Yumol, também foi encontrado e apreendido um carregador e diversas munições. Ele alegou que atirou contra Rose Furigay porque estava em disputa judicial legal com ela.

Chao Tiao Yumol já havia sido condenado por difamação na internet. Ele foi colocado em liberdade após pagar uma fiança.

O general-de-brigada Remus Medina, chefe da polícia local, informou que o suspeito estava determinado a cometer os assassinatos, mas que este caso é um incidente isolado.

O suspeito foi preso logo em seguida após o ataque. Ele apresentava ferimentos no rosto. Ele aproveitou a oportunidade para acusar a ex-prefeita Rose Furigay de tráfico de drogas e de atentados contra ele sua família.

Apesar das regras brandas com relação ao porte de armas nas Filipinas, tiroteios em escolas e universidades são raros. Já assassinatos de políticos são comuns, principalmente em anos eleitorais.

A família Rose Furigay domina a política na cidade de Lamitan. Ela obteve o mandato de prefeita por três vezes consecutivas. A Justiça, no entanto, a proibiu de tentar um quarto mandado nas eleições de maio deste ano, alegando que a Constituição do país a proibia de tentar a reeleição.

Com informações da France Presse e Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo