Atentado a bomba deixa mortos e feridos na Somália

Um atentado a bomba ocorrido na manhã desta quinta-feira (25) em Mogadíscio, capital da Somália, causou a morte de pelo menos oito pessoas e deixou outras sete feridas. O ataque foi reivindicado pelo grupo Al Shabab, que é próximo do grupo terrorista Al Qaeda.

De acordo com as primeiras informações, divulgadas agora a pouco pelas principais agências internacionais de notícias, o ataque foi feito com um carro-bomba, que foi estacionado nas proximidades do palácio presidencial e, posteriormente, detonado.

Ataque com carro-bomba em Mogadíscio, capital da Somália, causou a morte de pelo menos oito pessoas e deixou outras sete feridas – Foto: Feisal Omar/Reuters

No momento da explosão havia vários pedestres andando pela calçada e alguns foram atingindo, incluindo crianças. Não há relatos de vítimas entre os funcionários do prédio do governo.

Equipes de emergência e membros das Forças de Segurança foram mobilizadas e enviadas para o local do ataque, que foi isolado e cercado. Até o momento nenhum suspeito foi localizado e/ou preso.

O grupo Al Shabab luta desde 2007 para derrubar o governo somali, que conta com o apoio da Comunidade Internacional.

O comissário do distrito policial de Hamar Jajab, Mucawiye Ahmed Mudey, disse em entrevista coletiva que o número de vítimas (mortos e feridos), pode aumentar nas próximas horas, e que a maioria dos feridos já foi socorrida e levada a hospitais da cidade.

Confirmamos que oito pessoas, a maioria civis, morreram e outras sete ficaram feridas após a explosão de um carro-bomba“, afirmou Mucawiye Ahmed Mudey.

O atentado acontece no momento em que o chefe de Estado, Mohamed Abdullahi Mohamed, e o primeiro-ministro, Mohamed Roble, travam uma disputa pelo poder que já dura cerca de uma semana.

Muitos funcionários já foram demitidos por um e renomeados pelo outro, principalmente na área de segurança pública.

A explosão aconteceu por volta das 11h15min (horário local), no cruzamento de Ceelgab, um dos principais pontos de controle que levam a “Villa Somalia”, como é conhecido o palácio presidencial.

Testemunhas disserem que no momento de explosão muitos veículos estavam parados no ponto de controle à espera de vistoria, e que muitas vítimas ficaram presas às ferragens dos automóveis enquanto eles pegavam fogo.

O presidente e o primeiro-ministro da Somália não descartam a possibilidade de colocar em prática o toque de recolher em toda a capital.

Com informações das Agências France Presse e Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo