Holanda decreta lockdown em todo o país e manifestantes, contrários a medida, saem as ruas

O aumento significativo nos casos de infecção pela Covid-19 (Coronavírus) obrigou as autoridades da Holanda a decretarem medidas sérias para conter o avanço da doença, como restrições em várias cidades e lockdown em outras regiões.

A medida, no entanto, não agradou uma parcela da população, que saiu as ruas das principais cidades protestando de forma violenta contra as medidas de restrições impostas pelo governo.

Manifestantes colocaram neste sábado (20) fogo em bicicletas nas ruas de Haia, na Holanda, em protesto contra as novas restrições impostas pelo governo para tentar conter o avanço da Covid-19. — Foto: Danny KEMP / AFP

Na madrugada deste domingo (21) a polícia holandesa prendeu 19 arruaceiros em confrontos violentos que deixaram até o momento 23 feridos.

As autoridades sanitárias da Holanda informaram que as restrições são necessárias para conter a pandemia e evitar novas mortes e superlotação nos hospitais.

Na cidade de Haia, policiais da tropa de choque agiram com rigor para conter um grupo de manifestantes que tentavam destruir lojas. Assim que chegaram, os agentes públicos foram recebidos com pedras e responderam com gás lacrimogêneo e balas de borracha.

Um ganhão de água foi usado para dispersar a multidão, que enfurecida, tentavam agredir os policiais. Os manifestantes detidos, foram levados para um presídio, onde correm o risco de serem infectados pela doença.

Duas bicicletas que estavam estacionadas foram queimadas pelos manifestantes. Os policiais apagaram o fogo com o canhão d’água.

Polícia usa canhão de água contra os manifestantes durante protesto neste domingo (21) em Bruxelas, na Bélgica. — Foto: Olivier Matthys/AP Photo

Um veículo aonde estava uma mulher foi cercado pelos manifestantes e os policiais tiveram que usar a força para chegar ao local e resgatar a vítima, que foi colocada em uma viatura policial.

Ao todo, cinco policiais holandeses ficaram feridos entre sábado (20) e domingo (21) em Haia, aonde ocorrem manifestações violentas. Nas demais cidades, os protestos têm sido menos violentos.

Na cidade portuária de Roterdã também houve violentos protestos, tendo a polícia local usado balas de borracha e gás lacrimogêneo para dispersar a multidão. Na cidade 51 pessoas foram presas e três foram baleadas. Não houve registro de mortes, porém vários estabelecimentos comerciais foram depredados.

Também houve protestos violentos em outras cidades holandesas, como Urk, Utretch, Assen, Tilburg, entre outras.

O primeiro-ministro da Holanda, Mark Rutte, anunciou a cerca de uma semana a reintrodução parcial de um lockdown, principalmente porque parte da população deixou de seguir as normas de saúde pública em decorrência da pandemia da Covid-19 (Coronavírus).

Protestos na Bélgica

Também houve protestos violentos em Bruxelas, capital da Bélgica, na manhã deste domingo (21). Ainda não há informações sobre vítimas ou prisões.

As autoridades belgas estenderam o prazo de obrigatoriedade do uso obrigatório de máscaras a partir dos 10 anos, e determinou que as empresas trabalhem em esquema de home office ou de teletrabalho, para tentar conter a nova onda de casos de Covid-19 no país.

Outros países da Europa, como Áustria, Irlanda do Norte, Itália, Suíça e Croácia também podem decretar novas restrições nas próximas horas.

Com informações das Agências France Presse e Associated Press

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo