Sorgo forrageiro

Sucesso entre produtores, “Gigante” está em mais de 500 unidades de cooperativas pelo Brasil

Ferramenta comprovadamente versátil para utilização em diversas frentes agropecuárias, o Sorgo Gigante Boliviano amplia sua rede de distribuição em todo o Brasil. Considerando apenas o segmento cooperativista, as sementes deste híbrido – que começaram a ser comercializadas no Brasil em 2017 – já podem ser encontradas em mais de 500 unidades de 21 cooperativas espalhadas pelo País. A mais recente parceria foi fechada neste mês de setembro com a CCPR – Cooperativa Central dos Produtores Rurais -, uma aliança com sede em Belo Horizonte reunindo 32 cooperativas, 17 lojas agropecuárias e atuando em Minas Gerais e Goiás.

“Gigante” é opção eficiente e de baixo custo para produção de volumoso para animais de corte e de leite. – Fotos: Ariosto Mesquita

As demandas para a safra 2021/2022 estão sendo minuciosamente mapeadas a partir de cada loja destes nossos parceiros. É importante ficar claro que sementes originais de Sorgo Gigante Boliviano só são disponibilizadas no Brasil pela Latina Seeds”, garante Willian Sawa, diretor executivo da empresa que chancela híbridos de milho e de sorgo oriundos da exclusiva genética Agricomseeds.

Este sorgo forrageiro, batizado originalmente de AGRI 002E, ganhou o popular nome de “Gigante” pelo seu grande porte (atinge alturas superiores a cinco metros) e alta produtividade (só em silagem chega a render mais de 100 t/ha). Além de seu sucesso como fonte eficiente e de baixo custo para produção de volumoso, ele também é usado por produtores e indústrias em pastejo direto, como ferramenta para restruturação de solos, na reforma de pastagem, em áreas de integração lavoura-pecuária (ILP), na geração de bioenergia e até como elemento fertilizador na agricultura e na fruticultura.

Às vésperas do plantio da safra de verão 2021/2022, a Latina Sementes informa que mantém parcerias com as seguintes cooperativas: C-Vale, Holambra, Coasul, Camda, Coamig, Coopagrícola, Capal, Frisia, Castrolanda, Colari, Cocamar, Coopermota, Cativa, Coopavel, Copagril, Cocari, Coopercitrus, Bom Jesus, Copérdia, CCPR e Cooperitaipu. Em se tratando de sorgo, boa parte das unidades de cooperativas prioriza o forrageiro; algumas lojas, o granífero. A Latina também disponibiliza cultivares de milho de alta genética.

Porte do “Gigante” tendo, ao lado, uma lavoura de milho. Propriedade em Ipameri, sul de Goiás. – Fotos: Ariosto Mesquita

Além de autorizar a comercialização desse material, disponibilizamos treinamento para as equipes das cooperativas. O objetivo é garantir que o produtor tenha a correta orientação para o cultivo e obtenção dos melhores resultados”, informa Sawa. A empresa garante que todas as equipes das 559 unidades das atuais cooperativas parceiras já passaram, estão em curso ou em processo de agenda de treinamento.

Além da capacitação das equipes parceiras, a Latina Seeds pretende retomar gradualmente as atividades de contato direto com os produtores. “Na medida em que o quadro da pandemia permitir, e obedecendo a um protocolo de segurança, a empresa irá resgatar encontros presenciais como cafés da manhã em lojas de cooperativas e reuniões nas propriedades rurais”, avisa o executivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo