Recordista olímpico do Brasil, Robert Scheidt estreia com 11° lugar no Japão

Estreia da classe Laser ocorreu na madrugada deste domingo (25), na raia de Enoshima e falta de vento provocou o adiamento da segunda regata programada para o primeiro dia de competição

São Paulo (SP) – A primeira regatada da classe Laser na Olimpíada de Tóquio começou com vento fraco, na casa dos nove nós, e terminou com uma brisa de oito nós, na madrugada deste domingo (25), na raia em Enoshima. Robert Scheidt, que se tornou oficialmente recordista brasileiro em sua sétima participação nos Jogos, cruzou a linha de chegada em 11° lugar. O vencedor foi o francês Jean Baptist Bernaz, companheiro de treino do bicampeão olímpico de 48 anos.

O bicampeão olímpico Robert Scheidt (Divulgação)

A falta de vento provocou o adiamento da segunda regata programada para a estreia da classe Laser no Japão. Com isso, Scheidt retorna à raia de Enoshima na madrugada desta segunda-feira (26), a partir da 00h05. Com o resultado deste domingo, o bicampeão olímpico brasileiro acumula 11 pontos perdidos. Estão programadas duas regatas por dia, até sexta-feira (30). A medal race, com os dez melhores classificados na luta final pelo pódio, será no próximo domingo (1).

Na regata deste domingo, Scheidt brigou sempre no pelotão da frente da regata. Chegou a montar a segunda boia na sexta colocação, mas depois caiu para a nono e cruzou a linha de chegada em 11° lugar. Atrás do líder francês chegaram o finlandês Kaarle Tapper e o norueguês Hermann Tomasgaard, em segundo e terceiro lugares, respectivamente.

Cinco medalhas Olímpicas: 

Ouro: Atlanta/96 e Atenas/2004 (ambas na Classe Laser)

Prata: Sidney/2000 (Laser) e Pequim/2008 (Star)

Bronze: Londres/2012 (Star)

181 títulos – 89 internacionais e 92 nacionais

Laser
– Onze títulos mundiais – 1991 (juvenil), 1995, 1996, 1997, 2000, 2001, 2002*, 2004 e 2005 e 2013

*Em 2002, foram realizados, separadamente, o Mundial de Vela da Isaf e o Mundial de Laser, ambos vencidos por Robert Scheidt

– Três medalhas olímpicas – ouro em Atlanta/1996 e Atenas/2004, prata em Sydney/2000

– Na Olimpíada Rio 2016, terminou em quando lugar, vencendo a medal race, televisionada para o mundo todo.

Star    
– Três títulos mundiais – 2007, 2011 e 2012*

*Além de Scheidt e Bruno Prada, só os italianos Agostino Straulino e Nicolo Rode venceram três mundiais velejando juntos, na história da classe

– Duas medalhas olímpicas – prata em Pequim/2008 e bronze em Londres/2012
– Integrante fundador da Star Sailors League, um circuito global de competições em franca ascensão, como uma ATP da vela, com ampla cobertura midiática. Scheidt foi o campeão da primeira edição, em 2013, ao lado de Bruno Prada, e vice-campeão em 2017 e 2018, com Henry Boenning.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo