Israel bombardeia a Síria e aumenta a tensão no Oriente Médio

O Exército Israelense iniciou na manhã desta quinta-feira (22) uma série de bombardeio contra a Síria, aumentando ainda mais a instabilidade na região do Oriente Médio. Ao menos, quatro soldados sírios ficaram feridos.

De acordo com informações das principais agências internacionais de notícias, os bombardeios foram uma resposta ao lançamento de mísseis por parte da Síria.

Bandeiras de Israel e Síria – Foto: Divulgação

Um dos mísseis sírios teria caído no Deserto de Neguev, no Sul de Israel, aonde fica localizada uma base militar e uma instalação nuclear secreta, mais precisamente na Região de Dimona.

Um míssil terra-ar proveniente da Síria caiu no Neguev. Em represália, o exército israelense bombardeou a bateria de onde o míssil foi lançado e outras baterias sírias de mísseis terra-ar“, informou o exército israelense através de um breve comunicado.

Segundo informações do Governo Sírio, o Exército Israelense iniciou o bombardeio com mísseis disparados das Colinas de Golã, região reivindicada pela Síria. Alguns destes misseis atingiram as imediações de Damasco, capital do país.

Nossa bateria de defesa antiaérea interceptou mísseis. A agressão causou ferimentos em quatro soldados e alguns danos materiais“, informou o porta-voz do Governo da Síria.

Em Israel, as sirenes começaram a alertar os moradores de Abu Qrenar sobre possíveis bombardeios.

Israel nunca reconheceu oficialmente dispor de um arsenal militar nuclear, mas um ex-técnico nuclear israelense, identificado como sendo Moderchai Vanuni, que fugiu do país, disse que o Estado Hebreu possui entre 100 a 300 ogivas nucleares, que podem ser lançadas contra a Jordânia, Síria e Irã, em caso de guerra.

Com informações das Agências Reuters e AFP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo