EUA restauram apoio aos palestinos e irritam os israelenses

O governo dos Estados Unidos (EUA) anunciou essa semana que irá voltar a apoiar os palestinos na Organização das Nações Unidas (ONU) e, sobretudo, retomar a ajuda financeira ao Governo Palestino.

A ajuda financeira aos palestinos e o apoio foram ‘cortados’ em 2018 durante a gestão de Donald Trump e o boicote desagradou a Comunidade Internacional.

Acampamento de refugiados palestinos na Cisjordânia ocupada – Foto: CICV/Divulgação

O novo presidente norte-americano, Joe Biden, prometeu restaurar o apoio e a ajuda financeira aos palestinos. A ajuda financeira a Agência das Nações Unidas para Refugiados Palestinos (UNRWA) deve ser de aproximadamente US$ 235 milhões, e deve beneficiar 5,7 milhões de palestinos.

O secretário de Estado dos EUA, Anthony Blinken, disse que US$ 150 milhões serão para ajuda humanitária e o restante para auxílios econômicos e de desenvolvimento. A medida foi tomada por Biden para reparar os laços diplomáticos com a Autoridade Palestina, quase totalmente encerrados por Donald Trump.

Ainda segundo Anthony Blinken, o novo governo norte-americano buscará restabelecer as negociações para a criação do Estado Palestino e estabelecer um acordo definitivo de paz entre israelenses e palestinos.

Joe Biden acredita ser possível a existência pacifica na região de dois Estados independentes, Israel e Palestina.

Essa negociação, no entanto, somente começará de fato a partir das eleições palestinas previstas para acontecerem ente maio e julho deste ano. Até essa data, Joe Biden pretende consultar o Congresso sobre possíveis obstáculos legais que possam impedir as negociações e a retomada do processo de paz.

Acampamento de refugiados palestinos na Cisjordânia ocupada em agosto de 2011 – Foto: Unrwa/Ala’a Ghosheh

O presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, saudou a decisão de Biden. Já o embaixador de Israel nos EUA, Gilad Erdan, disse temer por atividades antissemitas na região.

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, havia pedido a Donald Trump que forçasse a ONU a desmantelar a agência UNRWA, que cuida dos interesses palestinos.

A maioria dos palestinos assistidos pela UNRWA descendem diretamente dos 700 mil expulsos de suas casas e terras durante a guerra em 1948, que levou a criação do Estado de Israel.

Até então Israel não existia e o Estado foi criado em terras palestinas para abrigar milhares de judeus que foram perseguidos pelos nazistas, em todo o mundo, durante a Segunda Guerra Mundial.

Com informações das Agências France Presse e Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo