Luisa Stefani vai à semi do WTA 1000 de Miami e iguala melhor ranking de Maria Esther Bueno

Tenista paulistana e a norte-americana Carter derrotaram dupla dos Estados Unidos Pegula/Muhammad

São Paulo (SP) – A paulistana Luisa Stefani, baseada na Saddlebrook Academy, na Flórida (EUA), e a norte-americana Hayley Carter, se classificaram, nesta terça-feira (30), para a semifinal do WTA 1000 de Miami, nos Estados Unidos, torneio sobre o piso duro com premiação de US$ 3,26 milhões. A dupla derrotou as norte-americanas Jessica Pegula e Asia Muhammad, por 2 sets a 0 com parciais de 6/4 6/1, após 1h01min de duração.

Comemoração da vitória (Marcelo Stefani / Divulgação)

Esta será a segunda vez de Luisa e da dupla na semifinal de um torneio desse porte. No ano passado elas fizeram semifinal no torneio de Roma, na Itália, que na época era chamado WTA Premiere e passou a ser WTA 1000 desde o começo de 2021. Luisa e Hayley somam 15 vitórias e apenas cinco derrotas nesta temporada, sendo a quinta dupla que mais pontuou no circuito da WTA.

A vitória garante o melhor ranking da carreira de Luisa, o 29º posto, igualando o melhor ranking da multicampeã Maria Esther Bueno, conquistado em dezembro de 1976. O ranking feminino foi estabelecido em 1975 e a WTA nos primeiros anos só traz os rankings de fechamento da temporada. Acredita-se que Maria Esther tenha sido número 1 na década de 60 quando ganhou títulos de Grand Slam em simples e nas duplas.

“Ótimo jogo hoje (terça). Sempre quis jogar aqui e está sendo uma baita estreia. Tivemos mais um jogo duro e amanhã mais uma batalha pela frente, mas estamos bem confiantes. A Hayley jogou super bem e eu joguei bem também. Estamos melhorando a cada jogo e contamos com a torcida de todos, sentimos bem essa energia por mais que estejamos nessa bolha. Vamos que vamos”, resumiu Luisa, que tem o patrocínio do Banco BRB e os apoios da Fila, CBT, HEAD, Saddlebrook Academy, Tennis Warehouse e Liga Tênis 10.

Rapidez de Luisa (Marcelo Stefani / Divulgação)

Agora a dupla vai buscar a primeira final de WTA 1000 contra a canadense Gabriela Dabrowski e a mexicana Giulia Olmos, que superaram as norte-americanas Coco Gauff e Christina McNally. Se vencer mais esta partida, que será nesta quarta ou quinta-feira, Luisa subirá ao 26º lugar e Hayley será 27ª no ranking.

Carreira – Luisa Stefani, 23 anos, nascida em São Paulo (SP), mora em Tampa, na Flórida (EUA), treinando na Saddlebrook Academy. Cursou a universidade americana de Pepperdine, onde jogou o circuito universitário por alguns anos. Se destacou e optou por trancar a faculdade para disputar o circuito profissional integralmente a partir de meados de 2018. Ganhou destaque nas duplas e começou a colher resultados já em 2019, conquistando um título no WTA de Tashkent, no Uzbequistão, e o vice-campeonato em Seul, na Coréia do Sul, em outubro, com sua então nova parceria, a norte-americana Hayley Carter, terminando o ano perto das 70 melhores do mundo.

Em 2020, conquistou o WTA 125 de Newport Beach, na Califórnia e chegou às oitavas de final do Australian Open. Após a quarentena, comemorou o título do WTA de Lexington, nos Estados Unidos. Terminou o ano como a 33ª do mundo, primeira brasileira no top 40 em mais de três décadas. Começou 2021 com a final no WTA 500 de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, alcançando o top 30 – a primeira brasileira desde 1976 – e chegou à segunda decisão em Adelaide. Há duas semanas, foi quadrifinalista do WTA 1000 de Dubai. Como juvenil, também foi destaque, conquistando vitórias em Wimbledon e se tornando Top 10.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo