Terremoto de 7 graus na Escala Richter atinge o Nordeste do Japão

Autoridades japonesas emitiram alerta de tsunami, mas o suspenderam uma hora depois.

Um forte terremoto, de magnitude de 7,0 graus na Escala Richter, atingiu na manhã deste sábado (20) o Nordeste do Japão. O tremor foi sentido na capital Tóquio e, por precaução, as autoridades emitiram alerta de tsunami.

Bandeira do Japão – Foto: Divulgação

De acordo com as primeiras informações, divulgadas agora a pouco pelas principais agências internacionais de notícias, o abalo sísmico foi registrado na província de Miyagi, a 400 km de distância da capital do país. Ainda não há relatos de vítimas ou danos.

O alerta de tsunami já foi suspenso, porém por precaução, as autoridades pediram aos moradores que deixem suas casas localizadas no litoral Nordeste do país.

O Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS – sigla em inglês) informou que o terremoto ocorreu por volta das 06h25min (horário de Brasília), a uma profundidade de 60 km. O tremor foi sentido em Tóquio, a cerca de 400 km ao Sul do epicentro.

A Prefeitura de Miyagi mobilizou as equipes de resgate, mas até o momento não há registro de vítimas fatais ou feridos. Os danos são considerados mínimos.

As autoridades locais pediram as pessoas que permaneçam em suas casas, e que saiam apenas se houve danos a infraestrutura das edificações.

Por precaução, a Empresa Tohoku Eletric Power Company interrompeu o funcionamento da Usina Nuclear de Onagawa. Técnicos estão vistoriando a estrutura e os equipamentos da usina.

Por causa da suspensão do funcionamento da usina, cerca de 200 casas tiveram o abastecimento de energia elétrica suspenso. As viagens de trem bala também foram suspensas.

Técnicos da Tohoku Eletric Power Company também estão vistoriando e monitorando a Estação de Energia Fukushima Dai-Ichi, que foi seriamente danificada pelo terremoto, seguindo por um tsunami, em março de 2011. Por enquanto não foram relatados riscos imediatos de vazamento radioativo.

Com informações das Agências NHK, Reuters e France Presse

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo