Atentado deixa 2 mortos e 5 feridos na Caxemira, fronteira entre Índia e Paquistão

Um ataque terrorista ocorrido nesta sexta-feira (19) em uma região na fronteira entre a Índia e o Paquistão causou a morte de pelo menos duas pessoas e deixou outras cinco feridas. A região é disputada entre os dois países.

Foto: Divulgação

De acordo com informações das principais agências internacionais de notícias, o atentado aconteceu durante a visita de 24 diplomatas estrangeiros em uma região de alta segurança em Baghat, entre as províncias de Jammu e Caxemira.

Equipes de paramédicos e das forças de segurança dos dois países foram mobilizadas e enviadas para o local. Ao menos dois policiais morreram no ataque.

A visita dos diplomatas estrangeiros desencadeou uma onda de violência na região e obrigou as autoridades dos dois países a fecharem novamente as fronteiras.

Imagens obtidas por uma emissora de TV da Índia flagraram o exato momento em que um terrorista atira contra os dois policiais em um centro comercial. Os agentes chegaram a ser socorridos, mas morreram quando estavam sendo atendidos em um hospital da região.

Um grupo terrorista denominado de Frente de Resistência (TRF), ligado à organização Lashkar-e-Taiba, assumiu a autoria do ataque. Na quarta-feira (17), o mesmo grupo já havia praticado ataques na região.

Em um desses ataques, terroristas armados alvejaram um jovem hindu de 22 anos, filho do proprietário de um restaurante em Srinagar, o maior da cidade.

O jovem, identificado como sendo Akash Mahra, está internado em estado grave em um hospital da região. Policiais estão realizando buscas na região a procura dos suspeitos.

Soldado indiano reforça a segurança na Caxemira, na fronteira entre a Índia e o Paquistão, após os ataques ocorrido nesta sexta-feira (19) – Foto: Divulgação

A recente onda de ataques e atentados na região da Caxemira acontece após a revogação, por parte da Índia, da semiautonomia do território, que é disputada pelos dois países.

Os ataques ocorrem sempre contra estrangeiros, incluindo diplomatas da Organização das Nações Unidas (ONU). O Paquistão apelou as autoridades indianas para manterem a autonomia da região, mas não obteve sucesso.

Durante as eleições em Jammu e na Caxemira, diplomatas estrangeiros e juristas da União Europeia (UE) e funcionários da ONU foram até a região para validar a lisura do pleito. Na ocasião foi montado um forte esquema de segurança.

Desde a revogação do status de semiautônomos que a população de Jammu e da Caxemira vivem sob constantes ataques e cortes nas redes de telefonia e internet, além de toques de recolher e ameaças veladas.

Com informações das Agências France Presse e Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo