Naufrágio deixa 19 imigrantes mortos no Caribe

A maioria das vítimas é formada por cidadãos venezuelanos.

Um barco com imigrantes venezuelanos naufragou na tarde de sexta-feira (11) no Mar do Caribe, deixando dezenas de mortos e desaparecidos. As causas do acidente ainda são desconhecidas, mas já estão sendo investigadas.

De acordo com informações das principais agências internacionais de notícias, a embarcação, com aproximadamente 28 pessoas a bordo, saiu do porto da cidade de Güiria, no Estado de Sucre, na Venezuela, e tinha como destino Trinidad e Tobago, uma nação caribenha.

Imigrantes venezuelanos foram resgatados no Mar do Caribe no sábado (12), após o naufrágio da embarcação aonde estavam. – Foto: AP

Equipes de emergência foram mobilizadas e conseguiram resgatar com vida duas pessoas, que foram encaminhadas a um hospital da região. Até o momento foram resgatados 19 corpos, sendo 16 nas águas do Mar do Caribe e três em uma praia, sendo dois homens e uma mulher.

A Guarda Costeira da Venezuela encontrou os primeiros corpos no sábado (12) a 7 milhas náuticas (13 km) da Costa de Güiria, uma cidade remota, de onde normalmente saem ilegalmente embarcações com imigrantes.

As autoridades venezuelanas informaram que até o momento nenhum cidadão manifestou o desaparecimento de familiares. Já a Guarda Costeira de Trinidad e Tobago informou que o barco partiu da Venezuela no dia 06 de dezembro, com aproximadamente 25 pessoas a bordo.

O deputado de oposição da Venezuela, Robert Alcalá, disse que os corpos, em avançado estado de decomposição, estavam amarrados uns aos outros, provavelmente para se protegerem as fortes ondas. Ele se baseou em dados contidos no Boletim de Ocorrência (BO) da Polícia Judiciária Venezuelana.

Os corpos das vítimas que já foram resgatadas foram levados primeiramente para um cais da Guarda Nacional em Güiria, tendo sido transferidos posteriormente para um necrotério na cidade de Cumaná, onde serão realizados todos os exames de praxe, incluindo a identificação.

Entre 2018 e 2019, mais de 100 venezuelanos desapareceram no Mar do Caribe ao tentarem entrar ilegalmente em Trinidad e Tobago. Os corpos de algumas vítimas não foram localizados.

A Organização das Nações Unidas (ONU) estima que mais de cinco milhões de venezuelanos deixaram seu país desde 2015, forçados pela grave crise política e econômica que vem devastando o país.

Autoridades de vários países não reconhecem o governo de Nicolás Maduro, porém nada fazem para resolver a situação na Venezuela, que se deteriora dia-a-dia.

Com informações da Agência France Presse e Associated Press

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo