Guia para Medicina: 10 recomendações para se sair bem nos vestibulares

Coordenador do Curso Poliedro indica as melhores práticas para estar bem preparado aos diversos perfis de provas da área

A preparação para os vestibulares de Medicina pode causar pesadelos nos estudantes! A grande concorrência, a exigência de qualificação e as notas de corte altíssimas são responsáveis por colocar o curso de Medicina na lista dos mais difíceis para obter aprovação. Portanto, todos os detalhes importam para impulsionar o desempenho do estudante. Nada deve ser deixado para trás!

Foto: Divulgação

Segundo Márcio Guedes, coordenador do Curso Poliedro, o número de vagas nas faculdades é baixo considerando a grande quantidade de jovens interessados em uma graduação na área, número que vem aumentando ano a ano. “Considerando as poucas oportunidades, aliadas ao alto nível de exigência, é importante que o candidato entenda o cenário para que possa criar estratégias que o façam superar os desafios envolvidos para quem desejar entrar em uma faculdade de Medicina”.

Além de estar bem preparado em relação ao conteúdo, o aluno precisa desenvolver uma estratégia para execução de prova e para manter o equilíbrio emocional. Ter uma agenda organizada, com momentos de estudo, mas também de descontração, é também um grande aliado no período pré-vestibular.

Para ajudar os estudantes na preparação para os vestibulares, o coordenador oferece algumas dicas e recomendações:

  • Comece a estudar com antecedência

Considerando a grande concorrência, a qualificação dos estudantes e a nota de corte muito acima da média de outros vestibulares, o preparo com antecedência é extremamente importante. A concorrência em uma prova de primeira fase pode chegar a 200 candidatos por vaga, então, qualquer erro pode ser fatal para a aprovação. O ideal seria que o aluno fosse orientado desde o começo do Ensino Médio para aprender a estudar e a desenvolver a capacidade de organização e de disciplina, qualidades e hábitos essenciais de um bom estudante.

Estudar com base em versões anteriores da prova também pode ser um bom método, no entanto, isso deve ser feito com a orientação dos professores e coordenadores, pois existe momento certo para isso. Uma dica é que o estudante organize revisões periódicas, como no meio do semestre, nas férias de julho e do final do ano, e, neste último caso, começando um mês antes do vestibular.

Outra dica importante é tentar não deixar acumular muita coisa, afinal, todo vestibulando sabe que matéria atrasada faz parte da rotina.

  • Prepare-se para diferentes formas de cobrança

É preciso se preparar pensando nas diversas formas de cobrança impostas pelos diversos tipos de vestibulares. Durante os estudos, o aluno deve se envolver com todos os tipos de questões, mesmo se tiver como meta um único e determinado vestibular. Essa preparação ampla envolve fazer questões simples, complexas, interpretativas, conteudistas e até mesmo as “mal elaboradas” que possam surgir. Ter essa experiência sobre os diversos tipos de questionamentos ajudará o aluno a ficar cada vez mais sagaz e seguro para realizar as provas.

  • Exercite o foco e a capacidade de concentração por longos períodos

O foco e a capacidade de manter a concentração por horas são imprescindíveis. O dia a dia educacional, com o acompanhamento de aulas e a prática de atividades, pode ajudar. Estudar todo dia amplia a atenção e o condicionamento psicológico para a realização da prova. Para contribuir com o desempenho dos alunos, o Curso Poliedro oferece um simulado todo final de semana para que treinem o tempo e ampliem a concentração estendida.

  • Faça diversos simulados para treinar o ritmo

Criar pequenos simulados em casa pode ajudar a treinar o tempo. Por exemplo, se programou para fazer um mini simulado com 30 testes, calcule o tempo de três minutos por questão para ter uma prova com 1h30 de duração. É recomendado incluir de duas a três matérias diferentes para testar os seus conhecimentos. Assim, o aluno treina sua habilidade de estratégia e tempo de prova.

Você pode achar estranho fazer um mini simulado de 1h30, mas, lembre-se: um maratonista não corre uma maratona todo dia que vai treinar. Além disso, os simulados oficiais já têm essa função.

Outro ponto importante é comportar-se como se estivesse participando de uma prova de verdade, assim, pode treinar sua postura. Criar este hábito ajuda a obter atenção e capacidade de concentração progressivas, assim como alivia possíveis tensões e inseguranças.

  • Seja claro e objetivo em provas dissertativas

As provas dissertativas exigem muito e não apresentam margem para erro. As chances de aprovação são reduzidas drasticamente a cada item em branco. Saber colocar as questões no papel também é importante, afinal, o caminho da resposta também é levado em consideração pelo avaliador, que busca clareza e objetividade. Segundo Guedes, “não é preciso escrever além do que é solicitado. Por exemplo, se pedir para citar, cite. Não explique, não se estenda. Se pedir para justificar, justifique.

Se pedir para transcrever parte do texto, faça isso. Além disso, ordene bem as respostas no papel, mantendo a coerência e a coesão, e as destaque. Lembre-se que qualquer coisa diferente do comando pode reduzir pontos”.

  • Nas provas, pule questões difíceis

É comum ter insegurança na hora de pular questões em que temos mais dificuldades. Não queremos errar, principalmente se nos sentimos bem preparados. No entanto, deve-se considerar a pontuação da prova como um todo, então, não podemos ficar presos na mesma questão por muito tempo. Não existe certo e errado com relação à ordem de execução, contanto que o tempo seja suficiente para concluir o exame. Uma boa recomendação é começar pelas questões mais fáceis e deixar as mais difíceis para o final, concentrando-se nelas com muita atenção.

  • Tenha atenção aos enunciados

Caso não entenda um enunciado, leia mais devagar, o que ajuda a potencializar a atenção. Não deixe de grifar todos os detalhes que julgar importantes. Faça leituras atentas e sempre releia os excertos para conferir se não deixou de fornecer nenhuma resposta.

  • Não complique enunciados simples

Não fique desconfiado quando você se depara com uma questão fácil. Muitos alunos perdem tempo procurando a “pegadinha”, pois consideram que não é possível que questões simples apareçam na prova. Mas elas existem e é preciso ficar atento para não as complicar. Siga o enunciado e as resolva! Caso continue com alguma dúvida, assinale e deixe para o final. Primeiro termine a prova, depois revise o que estiver pendente.

  • Tome cuidado para não cair em armadilhas mentais

Um exemplo de armadilha emocional é a composição do gabarito. Não se preocupe caso apareçam três letras iguais em sequência. Não significa que existe alguma pegadinha. Confie na sua preparação durante o ano e nos conhecimentos que conquistou.

  • Dedique-se à Redação

Trata-se de um componente eliminatório. Qualquer desvio de tema é suficiente para desclassificar o estudante do vestibular. É recomendável que treinem bastante, produzindo um texto por semana para aprimorar a agilidade, com grande atenção à gramática, cada vez mais exigida nas provas. Também é essencial que se atentem às coletâneas oferecidas na prova. O hábito de leitura é fundamental para um bom desempenho, seja de revista, jornal ou mesmo livros fora do contexto do vestibular. A leitura enriquece nosso vocabulário, nosso conhecimento sobre as regras gramaticais e amplia a compreensão acerca das atualidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo