O ‘Improviso Guaicuru’ e a poética performática de Ruberval Cunha

Quanto à expressão da palavra improvisada na seara artística, há no Brasil algumas marcantes modalidades tradicionais, como, por exemplo, a ‘Cantoria de Repentistas’ e a ‘Embolada’ da região nordestina, e a ‘Pajada’ do Sul do nosso país: variações estas de repentes de oralidade que se ancoram em padrões convencionais de rima e métrica dos versos criados. Outrossim, o chamado ‘Improviso Guaicuru’, estilo novo de repente poético regional criado pelo sul-mato-grossense Ruberval Cunha, afasta-se desta rigidez formal e, assim, flui em discurso corrido com suas estâncias constitutivas despreocupadas com modelos estéticos e/ou padrões métricos, mas dosadas de ritmo envolvente e rimas próprias, além de mensagens especiais voltadas para cada tipo de público – para isto (e como ele bem define) o nosso poeta ‘agrega técnicas teatrais, discernimento literopoético, elementos musicais e a participação interativa da plateia’.

Ruberval Cunha – Foto: Arquivo ASL

Como sabemos, a teoria literária abrange embasamentos em áreas diversas como a linguística, a filosofia, a psicologia e a sociologia – neste caso, disciplinas que se conectam e se harmonizam na linguagem oral única do poeta/artista Ruberval, conferindo sua identidade de sujeito-leitor-escritor. Destarte, os seus textos originais, criados e verbalizados no ato de suas apresentações, impressionam também pela essência metafórica e desígnios existenciais que despertam reflexões filosóficas e altruísticas, ou, por vezes, atinam para o tom pitoresco e espirituoso, tudo enlevando a alma e (como já dito acima) de acordo com o perfil geral dos espectadores: inclusive o universo infantil, que recebe do poeta do “Improviso Guaicuru” peculiar dedicação. Acerca deste público específico, disse ele certa vez: “Primeiro aproximo a realidade da poesia da realidade das crianças, fazendo uma adequação linguística, desmistificando que o poeta é um ser de outro mundo, e que a poesia está distante ou apenas nos livros”.

Há mais de trinta anos integrando efetivamente o movimento cultural de Mato Grosso do Sul, pós-graduado em Gestão de Projetos pela Universidade Anhanguera, formado em Letras pela UFMS, Ruberval vem a cada dia galgando mais espaços com a sua arte singular de oralidade poética e, assim, possui a sua agenda sempre ocupada com aberturas de eventos, exposições e palestras/shows. Também ator e Gestor de Educação e Segurança de Trânsito, já exerceu o cargo de Presidente da União Brasileira de Escritores / seccional MS, atuou como Conselheiro no Conselho Estadual de Cultura/MS e Conselho Municipal de Cultura de Campo Grande. Como poeta e declamador é tricampeão da Noite Nacional de Poesia, e já recebeu elogios de nomes expressivos da cultura nacional, como: Adélia Prado, Wally Salomão, Nélida Piñon, Thiago de Mello e Affonso Romano de Sant’Anna, entre outros. Segundo Joaquim Moncks, escritor e conferencista gaúcho, Ruberval Cunha é um Gênio da Oralidade.

No ano passado (2019), comemorando seus 30 anos de atividades poéticas, Ruberval apresentou-se em vários eventos/programas e locais, falando da sua trajetória e também ministrando palestras interativas, com destaque para o tema: “Encontros para a poesia – um depoimento literário”, que, segundo ele, “é um itinerário de celebração da arte da palavra, onde  teoria, oralidade e traços da poética local se misturam, trazendo para o palco uma narrativa que celebra a essência da Poiésis”, e culminando no encerramento com a sua marca registrada: o  improviso com participação dos presentes.

__________________________________________________________

 *Rubenio Marcelo é poeta escritor e compositor, membro da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo