Ampasul inicia serviço de variabilidade espacial aos seus associados

A Associação Sul-Mato-Grossense dos Produtores de Algodão (Ampasul), dando sequência em suas ações e inovações para contribuir com o algodão sustentável no Estado, lançou mais um serviço aos seus associados. A associação passou a oferecer o serviço de variabilidade espacial com o uso de drone ou satélite para os cotonicultores. O trabalho que já está disponível na safra 19/20, tem como objetivo coletar imagens com câmera multiespectral como o infravermelho próximo (NIR) ou índice de vegetação.

O serviço facilita o uso de regulador de crescimento na cultura do algodão em taxa variável, criando automaticamente zonas de manejo que podem ser identificadas pelos pulverizadores. Eles dosam o produto de acordo com a necessidade em cada parte ou zona da lavoura, isso faz com que a cultura seja mais homogenia em determinada quadra ou talhão.

Foto: Divulgação

Além do trabalho com regulador de crescimento, há também outros fatores da variabilidade que podem ser correlacionados em um mapa de geoprocessamento como esse.

Segundo os técnicos da Ampasul, um dos pontos de discussão nesse início dos trabalhos foi a plantabilidade e pragas de solo, principais fatores diagnosticados nas três propriedades nas quais foram realizadas as leituras na região da Baús, no município de Costa Rica.

Ao todo foram mais de 1.000 hectares analisados e sobrevoados, serviço executado por uma empresa terceirizada do estado de Goiás, que presta o serviço para a Ampasul.

Os produtores atendidos inicialmente disseram que a ferramenta já ajudou a detectar falhas no processo de implantação da cultura, principalmente o que diz respeito à qualidade no plantio.

O projeto financiado pelo IBA (Instituto Brasileiro do Algodão) tem duração de duas safras e promete trazer grandes resultados para cotonicultura de Mato Grosso do Sul, já que essa tecnologia é bem difundida em outras culturas como a cana-de-açúcar e em países de ponta na agricultura de precisão”, disse Adão Hoffmann, diretor Executivo da Ampasul.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo